Coxia
17 de agosto de 2018

Coxia 2427

Demitido

O encarregado da Secretaria de Obras, Valter Célio Ferreira, que sempre foi ligado ao grupo político da prefeita Simone Carvalho (PSDB), foi demitido do cargo recentemente. Ele alega que os motivos foram políticos. Segundo Valter, a demissão ocorreu porque ele decidiu apoiar o candidato Fernando Rolla (Avante) a deputado federal nas eleições deste ano e não Rodrigo de Castro (PSDB), candidato apoiado pelo governo municipal. Coisas da política...

Sem mágoas

Valter disse que não tem mágoas da prefeita Simone e nem do seu grupo político pelo ocorrido. No entanto, ressalta que “pessoas de dentro do governo não tiveram respeito por mim e não quiseram ver meu crescimento”. No entanto, diz que ajudou a prefeita a se eleger com mais de 300 votos conseguidos por ele nas eleições de 2016. Será que agora ele rompeu de vez com os tucanos?

Racha

Discussões pesadas, bate-boca, tensão e acusações. Esse foi o clima de parte da reunião do Conselho Municipal de Saúde de João Monlevade na última terça-feira (14), na Câmara Municipal. Polêmicas e quedas de braço sobre as eleições da entidade, alvará de ônibus da saúde, brigas em posto e problemas diversos na área e um nítido embate entre dois grupos de conselheiros, os pró e os contra o governo municipal. Briga política feia e com um só perdedor: a saúde do povo monlevadense.

Voz do além

Parece nome de filme, mas não é. Outro fato estranho da reunião foi a saída, repentina e sem anúncio ou justificativa, da presidente do Conselho, Carolina Gomes. O mesmo foi feito por vários membros, todos funcionários da Prefeitura ou do Hospital Margarida. Nos bastidores, a informação era de que os conselheiros receberam uma ligação "misteriosa" do governo municipal, ordenando que eles se retirassem da reunião. Mistéeeeerio...


Sem paciência

Um atrito envolvendo uma paciente e funcionários da Unidade Básica de Saúde (UBS) do Novo Cruzeiro na semana passada virou caso de polícia no local. A mulher reclamou do atendimento, quebrou uma porta de vidro e foi detida pelo militares. Um filho dela teria feito ameaças aos servidores, dizendo que voltaria ao local e quebraria tudo. O fato fez com que um grupo de funcionários procurasse a prefeita Simone Carvalho (PSDB) e pedisse mais segurança. Nervos à flor da pele, sinal de que a paciência do povo se esgotou e que algo precisa ser feito com urgência ali.

Comissão

A Comissão de Saúde da Câmara se reúne hoje (17) com funcionários e com usuários do posto para tentar uma solução para os problemas ocorridos. A polícia foi chamada e se comprometeu a fazer rondas mais constantes no local e a Prefeitura disponibilizou um vigia. Mas a situação só vai ficar melhor quando melhorarem o atendimento ao povo e diminuírem o tempo de marcação das consultas. A torcida é que a paz volte para a área da saúde.