Ponto e Vírgula
27 de julho de 2018

O voto ainda é a melhor arma

Vejo estarrecido em redes sociais campanhas para boicotar as eleições deste ano, ou para não reeleger ninguém, pegando carona no desânimo do povo brasileiro e o descontentamento com a política atual. Porém, as pessoas talvez não saibam, que por enquanto, não inventaram nada melhor que o voto para o cidadão de bem promover as mudanças que tanto quer. Se a democracia é ruim, ela ainda é o melhor sistema que existe. E o voto é a soberania popular.
Fugir das eleições como protesto só facilita a permanência dos velhos políticos que contribuíram para que o país chegasse aonde chegou. O atual sistema favorece os grandes nomes que possuem a máquina eleitoral nas mãos. Eles, a troco de pequenos favores, mantém no cabresto, uma casta de afilhados políticos, que trabalham muito para reelegê-los. Falando nisso, não é questão de não reeleger, mas de avaliar o mandato e verificar o que foi feito de positivo pelo político em questão.
A única forma de mudar a realidade que aí está é votando em candidatos que sejam realmente capazes de promover as transformações esperadas. Não adianta escolher político do qual não se conhece nada, só porque o prefeito ou o vereador pediu. O voto é sagrado, secreto e, portanto, está intimamente ligado à consciência de cada um.
Quatro anos demoram muito para passar quando os nomes são ruins e não nos representam. O Médio Piracicaba, por exemplo, está há vinte anos sem uma representação que seja nascida aqui e que conheça a realidade dos municípios e os anseios dos cidadãos de fato. Muito por isso ter acontecido, são os votos em candidatos paraquedas e que têm o apoio das máquinas administrativas que estão no poder. Depois de eleitos, eles somem e só aparecem por conveniência.
A campanha eleitoral começa no dia 16 de agosto e os velhos nomes de sempre voltarão a aparecer, com o apoio de seus correligionários de sempre. Se você não quer reelegê-los, não é fugindo do voto que irá conseguir. Pelo contrário. A resposta deve vir das urnas, com a efetiva participação e elegendo ou reelegendo aqueles que sejam os legítimos representantes de nossas esperanças em tempos melhores.

() Erivelton Braz é editor do A Notícia e fundador da Rotha Assessoria em Comunicação