Desde 1984
Região
31 de Março de 2021
Médio Piracicaba segue na onda roxa até dia 11

João Monlevade e demais cidades do Médio Piracicaba continuam na onda roxa do programa Minas Consciente. O governo de Minas Gerais anunciou, no início da tarde desta quarta-feira (31), a prorrogação da onda mais restritiva em 815 das 853 cidades do estado até 11 de abril. Antes, a medida, que estabelece normas mais restritivas à circulação de pessoas com o objetivo de conter o avanço da COVID-19, valia até o domingo (4). 

 

Enquanto isso, 27 cidades da macrorregião do Triângulo do Norte e Microrregião de Patos de Minas avançam, a partir da próxima segunda-feira, à 'onda vermelha' do programa Minas Consciente. A decisão foi tomada em reunião do Comitê Extraordinário COVID-19 do governo mineiro nesta quarta-feira, em virtude da diminuição de casos, óbitos e internações. 'As outras localidades ainda não apresentaram uma queda sustentada na taxa de óbitos e de ocupação em leitos de UTI e, por isso, deverão seguir as medidas mais restritivas pelo menos até 11 de abril', anunciou o governo

Os seguintes municípios que voltam à Onda Vermelha, ficaram cerca de 30 dias na Onda Roxa e apresentaram redução da contaminação da Covid. São eles:  Uberlândia, Araguari, Ituiutaba, Patrocínio, Monte Carmelo, Coromandel, Prata, Tupaciguara, Monte Alegre de Minas, Campina Verde, Santa Vitória, Capinópolis, Nova Ponte, Canápolis, Centralina, Estrela do Sul, Abadia dos Dourados, Iraí de Minas, Indianópolis, Araporã, Gurinhatã, Ipiaçu, Romaria, Cascalho Rico, Cachoeira Dourada, Douradoquara e Grupiara.

Fazem parte da microrregião Patos de Minas as cidades de Cruzeiro da Fortaleza, Guarda-Mor, Guimarânia, Lagamar, Lagoa Formosa, Patos de Minas, Presidente Olegário, São Gonçalo do Abaeté, Serra do Salitre, Varjão de Minas e Vazante.

Decisão


A administração estadual se baseia em parâmetros epidemiológicos (número de novos casos e mortes, índice de disseminação do vírus e ocupação de leitos) para tomar as decisões. Os municípios do Triângulo do Norte e da microrregião de Patos de Minas passaram à fase roxa antes de boa parte do estado. Por isso, apresentaram melhora consistente nos números. Na avaliação de especialistas, as outras 815 cidades mineiras, entre essas a da região, ainda não têm condições, de afrouxarem as medidas restritivas. 

 

Casos

 

Minas Gerais vive o pior momento da pandemia e, recentemente, tem registrado recordes de casos e mortes diários. João Monlevade registrou ontem (30), 95 novos casos e tem 123 óbitos. Itabira, maior cidade da região, também registrou ontem 246 casos e um total de 183 mortes. 

 

O estado acumula 1.123.913 infecções por COVID-19 e 24.332 óbitos decorrentes da doença, segundo os números oficiais. “Tivemos mais uma semana de recorde, tanto no Brasil quanto em Minas. Infelizmente, os números de óbitos e a taxa de ocupação de leitos está subindo na maior parte das regiões. Seguimos com os esforços para ampliar leitos, apesar da falta de recursos, principalmente humanos, e, mais recentemente, de insumos. Contamos com o apoio da população para superarmos essa fase o quanto antes”, afirmou o governador Romeu Zema (Novo), durante a reunião com o comitê. 

Com a ampliação do distanciamento social e as medidas restritivas de circulação proposto pela onda roxa, a expectativa é aumentar o isolamento da população e, consequentemente, diminuir a notificação de casos suspeitos. “Essa diminuição de casos positivos permite queda na incidência e, consequentemente, melhora a taxa de ocupação na rede hospitalar e, por final, dos óbitos. É o que se espera da onda roxa”, afirmou o secretário adjunto de Saúde, André Luiz Moreira dos Anjos, durante a reunião do Comitê.

 

 

O que funciona na onda roxa 

·         Setor de alimentos (excluídos bares e restaurantes, que só podem atender via delivery);

Serviços de Saúde (atendimento, indústrias, veterinárias etc.);
Bancos;
Transporte Público (deslocamento para atividades essenciais);
Energia, Gás, Petróleo, Combustíveis e derivados;
Manutenção de equipamentos e veículos;
Construção civil;
Indústrias (apenas da cadeia de Atividades Essenciais);
Lavanderias;
Serviços de TI, dados, imprensa e comunicação;
Serviços de interesse público (água, esgoto, funerário, correios etc.)
 

Regras da onda roxa

Toque de recolher entre 20h e 5h;
Proibição de circulação de pessoas sem o uso de máscara, em qualquer espaço público ou de uso coletivo, ainda que privado;
Proibição de circulação de pessoas com sintomas de gripe, exceto para a realização ou acompanhamento de consultas ou realização de exames médico-hospitalares;
Existência de barreiras sanitárias de vigilância; Proibição de eventos públicos ou privados;
Proibição de reuniões presenciais.