Desde 1984
Geral
26 de Fevereiro de 2021
Prefeitura deve fiscalizar serviço de iluminação pública
Cintia Araújo TavaresAcomCMJM
Reunião na Câmara debateu iluminação pública em Monlevade

Reclamações referentes ao serviço de iluminação pública nas cidades, assim como atraso no atendimento de chamados e troca de lâmpadas, devem ser fiscalizadas pelas prefeituras. A informação é da  secretária executiva do Consórcio Intermunicipal Multissetorial do Médio Piracicaba (Consmepi), Christiane Linhares Vale. Segundo ela, apesar do serviço de troca de lâmpadas ser prestado pela empresa Quarck, que venceu a licitação para atender as cidades consorciadas na região, desde outubro, o gestor do contrato em cada município é a própria Prefeitura. O assunto foi pauta de reunião entre os vereadores de Monlevade e representantes do Consmepi.
A demora no atendimento aos chamados de manutenção e, em especial, de trocas de lâmpadas, também foi muito questionado pelos vereadores no encontro. Os legisladores citaram como exemplo que eles próprios já abriram chamados para trocas de lâmpadas por meio do telefone 0800 666 2001, canal criado exclusivamente para isto. Contudo, passados mais de 20 dias, alguns pedidos não foram atendidos. Novamente, foi reforçado pelo Consmepi a responsabilidade da Prefeitura em zelar pelo cumprimento do mandato. Além disso, Christiane deixou claro que a única forma do Consmepi acompanhar mensalmente os atendimentos feitos pela Quarck Engenharia é com o chamado aberto via 0800. “De outra forma foge ao nosso controle”, explicou.
Outro ponto abordado durante a reunião é que a Quarck recebe o valor de R$3,30 fixo por mês referente a cada poste de iluminação, independente de quantas vezes seja necessária a manutenção do ponto. Diante disso, foi questionado pelos vereadores se a modernização da iluminação pública, a partir da troca de luminárias para lâmpadas de led, não poderia ser revertida em economia para os cofres públicos e consequentemente, para a população. Contudo, foi explicado pelos representantes do Consmepi que o valor é definido a partir de licitação. Assim, é necessário novo certame para as modificações pertinentes ao preço acordado.
A reunião foi em atendimento a um requerimento assinado por Thiago Titó (PDT), Fernando Linhares (DEM), Revetrie Teixeira (MDB), Bruno Cabeção (Avante), Belmar Diniz (PT) e Tonhão (Cidadania). Participaram do encontro, o presidente Gustavo Maciel (Podemos), Pastor Lieberth (DEM), Rael Alves (PSDB), Andréa da Saúde (PTB), Dr. Presunto (PDT), Marquinho Dornelas (PDT), Leles Pontes (Republicanos) e Doró da Saúde (PSD).