Desde 1984
Geral
19 de Fevereiro de 2021
Câmara de Monlevade lança nota de repúdio contra charge

A Câmara Municipal de João Monlevade divulgou nota no início da tarde desta sexta-feira (19), em que 'manifesta seu total repúdio à violência sofrida pelas servidoras desta Casa, a partir de uma charge violenta, desrespeitosa e jocosa veiculada em rede social'.

O texto não o diz explicitamente, mas condena um desenho assinado por 'Capissoba', que traz um close das partes íntimas de uma mulher com os dizeres: 'Opa, quero ser assesssora da Câmara'. 'Se rolar, o pau vai comer'.

A charge é em alusão à proposta de se criar mais 16 cargos de assessores parlamentares na Câmara de Monlevade. O assunto foi manchete do A Notícia de hoje, com grande repercussão nas redes sociais.

Segundo a nota, a Casa Legislativa fez uma representação junto à 4ª Delegacia Regional de Polícia Civil, e segue todas as orientações das autoridades policiais para dar prosseguimento ao caso.

Liberdade de expressão

Procurado, o chargista Carlos Coelho, o Capissoba, disse que usou sua liberdade de expressão e que não quis depreciar ninguém. Ele reiterou que o seu desenho é uma charge comum, semelhante a muitas que circulam pela internet. “Eu vejo publicações de racismo, de homofobia e de preconceito pelas redes sociais. Onde está a minha liberdade de expressão?”, diz. Carlos Coelho assinala ainda que não quis ofender ou depreciar ninguém, mas que não mencionou nomes ou especificou a qual Câmara se referia.

Confira a nota da Câmara na integra:

A Câmara Municipal de João Monlevade manifesta seu total repúdio à violência sofrida pelas servidoras desta Casa, a partir de uma charge violenta, desrespeitosa e jocosa veiculada em rede social nesta sexta (19). A ação é considerada um ato de violência pelo Legislativo monlevadense. E como tal é tratada. Portanto, esta Casa Legislativa fez uma representação junto à 4ª Delegacia Regional de Polícia Civil, e segue todas as orientações das autoridades policiais para dar prosseguimento ao caso.

O agressor, em clara discordância política, usou de uma ação baixa e totalmente mentirosa. O proprietário do perfil publicou em rede social uma charge de uma silhueta feminina com dizeres depreciativos às mulheres e inclusive com conotação sexual, em que propaga a totalmente equivocada e difamatória impressão de favores íntimos em troca da ocupação de cargo que cita como “assessora de vereador”. Essa ação é uma violência e desrespeito não só a nossas servidoras, mas também a todas as mulheres. É inadmissível essa narrativa mentirosa, depreciativa, desrespeitosa e jocosa. É inadmissível que em 2021 ainda se ouse ter a equivocada e novamente, desrespeitosa concepção, de limitação às mulheres que, por competência e excelência, ocupam os mais variados cargos, tanto na esfera pública quanto privada. Não por acaso temos uma mulher eleita vereadora de João Monlevade. Não por acaso os cargos de chefia no Legislativo monlevadense são ocupados, em suma, por mulheres.

A Câmara Municipal esclarece que tem ofertando todo amparo administrativo às assessoras parlamentares, bem como as orientações jurídicas são dispensadas a elas diante da violência sofrida. A conduta violenta deste cidadão, que de forma baixa e medrosa se esconde atrás de um perfil em rede social para denegrir nossas servidoras, não ficará impune. Às nossas servidoras, que com competência, profissionalismo e coragem desempenham suas funções, nosso máximo respeito, reconhecimento, solidariedade e gratidão.

Vereadores e Servidores da Câmara Municipal de João Monlevade