Desde 1984
Polícia
12 de Fevereiro de 2021
Inquérito do desastre da Ponte Torta deve ficar pronto em 30 dias
Está em fase final o inquérito que apura a queda de um ônibus de viagem da Ponte Torta, em João Monlevade, em 4 de dezembro. De acordo com o delegado regional de Polícia Civil, Paulo Tavares Neto, os trabalhos de apuração devem ser concluídos em até trinta dias. Ele diz que faltam apenas algumas diligências fora do estado para concluir as investigações e entregar o relatório à Justiça. Tavares diz ainda que haverá indiciados, mas não informou nomes.

Por volta das 13h10 do dia 4 de dezembro de 2020, uma sexta-feira, um ônibus de viagem envolveu-se numa das maiores tragédias rodoviárias da história do Médio Piracicaba. Saído da cidade alagoana de Mata Grande com destino a São Paulo e transportando 48 pessoas, o veículo não conseguiu cruzar a Ponte Torta, no quilômetro 350 da BR-381, arrebentou a mureta e despenhou sobre a Estrada de Ferro Vitória a Minas, uma queda de 34,5 metros. 19 pessoas morreram, e outras 29 ficaram feridas, mobilizando dezenas de socorristas, policiais, bombeiros e voluntários.

Cinco pessoas conseguiram saltar do ônibus antes que ele despencasse, incluindo o motorista, Luiz Viana de Lima, que se escondeu e somente apresentou-se à Polícia Civil três dias depois do desastre. Duas empresas, a Localima Turismo e a JS Turismo, foram apontadas como sendo as responsáveis pela viagem. As investigações envolvem as Polícias Civis de Minas Gerais, São Paulo, Alagoas, Bahia e Santa Catarina.

Caminhão

Já o acidente de 13 de janeiro deste ano está em fase mais inicial de investigação. Segundo Paulo Tavares, o inquérito que apura a queda de um caminhão da Ponte Torta ainda espera os resultados da perícia. Naquela data, um caminhão-caçamba carregado com asfalto também não conseguiu cruzar a ponte, rompendo a mureta e despencando para dentro das águas do rio Piracicaba. Os quatro ocupantes, que saíram de Jaguaraçu para trabalhar no asfaltamento da estrada de Conceição de Piracicaba, faleceram. O trabalho de retirada do caminhão, realizado pelo Corpo de Bombeiros Militar, levou quase 72 horas.