Desde 1984
Geral
19 de Janeiro de 2021
Monlevade recebe 1600 doses da vacina
Credito Sérgio HenriqueAcomPMJM
Prefeito de Monlevade vai a Itabira buscar vacinas em comitiva
Prefeito e comitiva vai a Itabira buscar imunizantes

Uma comitiva da Prefeitura de João Monlevade foi a Itabira nesta terça-feira (19), com destino à Gerência Regional de Saúde (GRS), para buscar as doses da vacina Coronavac contra Covid-19 destinadas a João Monlevade.

No total, estão sendo distribuídas, nessa primeira remessa, 8 mil vacinas, sendo que João Monlevade recebe 1.600 doses, divididas em duas remessas de 800 doses.

A previsão de início da vacinação em João Monlevade, assim como em toda região, é amanhã (20), conforme cronograma de grupos prioritários.

Os imunizantes chegaram em um helicóptero da Polícia Civil e foram entregues no 32º Batalhão de Polícia Militar de Itabira e começaram a ser distribuídas para as outras 23 cidades da área de abrangência da GRS, com escolta policial.

Integram a comitiva o prefeito de João Monlevade, Laércio Ribeiro; o vice-prefeito, Fabrício Lopes (Avante), a coordenadora da Visa, Viviane Ambrósio; a enfermeira da Visa, Mara Geralda; a primeira dama Rosângela Ribeiro e o presidente da Câmara de João Monlevade, Gustavo Maciel (Podemos).

Protocolo de Grupos prioritários

Grupo 1: trabalhadores da saúde da frente de enfrentamento ao Covid-19.

Pessoas acima de 80 anos.

Pessoas de 75 a 79 anos.

Indígenas com idade acima de 18 anos.

Grupo 2:

Pessoas de 70 a 74 anos - de 65 a 69 anos - de 60 a 64 anos.

Grupo 3:

Pessoas acima dos 18 anos que tenham as seguintes comorbidades: hipertensão de difícil controle, diabetes mellitus, doença pulmonar obstrutiva crônica, doença renal, doenças cardiovasculares e cerebrovasculares, indivíduos transplantados de órgão sólido, anemia falciforme, câncer e obesidade grave (IMC maior ou igual a 40).

Grupo 4:

Professores do nível básico ao superior, forças de segurança e salvamento e funcionários do sistema prisional.

Outros grupos foram classificados como prioritários, mas ainda não foi definido em que fase de vacinação entrarão, já que isso depende da aprovação e disponibilidade de vacinas. São eles: povos e comunidades tradicionais ribeirinhas e quilombolas, pessoas com deficiência permanente severa e população acima de 18 anos privada de liberdade.