Desde 1984
Geral
17 de Janeiro de 2021
GRS de Itabira, responsável por Monlevade, receberá 148 mil seringas
Agência Minas
Governador de Minas, Romeu Zema


A Gerência Regional de Saúde (GRS) de Itabira deve receber nesta segunda-feira (18) um total de 148.250 seringas agulhadas – sendo 117.500 com agulha 25-6 e 30.750 com agulha 20-5,5 – para a vacinação contra o coronavírus em municípios de sua jurisdição. Entre esses, João Monlevade. A informação é do Governo de Minas.

Além de Monlevade, a GRS de Itabira é responsável por mais 22 municípios, que totalizam 412.513 habitantes, nos quais coordenará a vacinação contra o coronavírus. São eles: Barão de Cocais, Bela Vista de Minas, Bom Jesus do Amparo, Carmésia, Catas Altas, Dom Joaquim, Dores de Guanhães, Ferros, Guanhães, Itambé do Mato Dentro, Morro do Pilar, Nova Era, Passabém, Rio Piracicaba, Santa Bárbara, Santa Maria de Itabira, Santo Antônio do Rio Abaixo, São Domingos do Prata, São Gonçalo do Rio Abaixo, São Sebastião do Rio Preto, Senhora do Porto, Virginópolis.

O transporte do material é feito por meio de caminhões-baú dos Correios, com os quais a Secretaria de Estado de Saúde fez contrato de exclusividade.

Segundo o Governo de Minas, 7 milhões de seringas agulhadas destinadas à vacinação contra a covid-19 estão a caminho ou já chegaram a 21 das 28 regionais de saúde de Minas Gerais. Mais de 450 câmaras frias, que servirão para armazenamento dos imunizantes, também estão sendo entregues. No total, 617 freezers, com capacidades entre 200 e 400 litros, foram adquiridos.

Ao todo, o Governo de Minas comprou 50 milhões de seringas. Deste montante, 21 milhões de unidades já chegaram ao estado. As regionais de saúde já estão distribuindo os insumos para os 853 municípios mineiros, para que todos estejam preparados para quando a vacina chegar.

“Todo o processo de compras e de logística de distribuição foi planejado com antecedência. Quando as vacinas contra a covid-19 chegarem, os municípios estarão abastecidos com as seringas agulhadas para darem início à vacinação”, destacou a subsecretária de Vigilância em Saúde, Janaína Passos de Paula.