Desde 1984
Geral
04 de Dezembro de 2020
Maior parte dos municípios da região opera com despesas maiores que receitas
Vários municípios da região apresentam despesas maiores que as receitas. Isso significa que as cidades podem fechar o ano no vermelho, gastando mais do que era previsto arrecadar. Um levantamento do A Notícia baseado em informações disponibilizadas pelo Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG) e consultadas ontem (3), revela que, apenas Alvinópolis, Nova Era, Nova União, Rio Piracicaba e Santa Bárbara apresentam a receita total maior que a despesa total em 2020.

Outras cidades estão no limite do equilíbrio. Em João Monlevade, por exemplo, as receitas totais são de R$205.015.571,55, o que significa que são apenas 4,24% menores que as despesas, que são de R$214.092.913,64.

Já em Itabira, as despesas totais são de R$566.517.810,41, enquanto que as receitas são de R$509.690.841,13, uma diferença de 10,03%. São Gonçalo do Rio Abaixo precisa fazer crescer em 18,10% suas receitas totais, atualmente, em R$170.389.816,82, para fazê-las cobrir as despesas totais, avaliadas em R$208.070.876,99.

De acordo com os dados do TCE-MG, o município com a situação mais crítica é Sem-Peixe, que dispõe de uma receita total de R$12.603.125,90, mas arca com uma despesa total de R$15.723.548,53, um degrau de 19,84%. Outras cidades também caminham para encerrar o ano em desequilíbrio. Barão de Cocais tem receita total de R$103.895.476,22, mas despesa total de R$108.934.280,39, uma diferença de 4,63%. Bela Vista de Minas tem receita de total R$26.511.974,62 e despesa total de R$29.323.397,83, um negativo de 9,59%. Bom Jesus do Amparo tem uma diferença entre receita e despesa de 5,15% negativos, Catas Altas, de 18,66% negativos e Dionísio, de 8,80% negativos.

Por outro lado, o município com o cenário mais confortável é Rio Piracicaba, com uma despesa total de R$51.582.108,41 e uma receita total de R$61.143.678,86, uma diferença de 18,53%. Outro destaque é São José do Goiabal, que tem receitas totais de R$16.823.403,90, faltando apenas 0,76% para cobrir as despesas totais, calculadas em R$16.952.675,24.

De acordo com o Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, apesar de faltarem 26 dias para o ano terminar, “os exercícios de 2019 e 2020 podem apresentar valores não consolidados, devido a carga dos dados que é realizada de acordo com o recebimento das remessas pelo SICOM”.