Desde 1984
Geral
27 de Novembro de 2020
Emoção marca despedida do pastor Sérgio Coelho
Foi bastante emocionada a cerimônia fúnebre em honra ao pastor Sérgio Eleotério Coelho, 77, realizada na manhã desta sexta-feira (27) no pátio do Templo Arca da Assembléia de Deus, em João Monlevade. Vários pastores, vindos de diversas regiões do país, oraram pela família e recordaram o legado de Eleotério, que faleceu com a Covid-19 na tarde desta quinta-feira. Durante mais de três décadas, ele comandou a denominação na região de Monlevade, transformando-se num dos mais respeitados líderes protestantes da região.

Durante a despedida, foram lidos versículos bíblicos, dirigidas orações à igreja e à família enlutada, e várias das lideranças recordaram passagens da vida de Sérgio, elogiado por sua integridade e por sua dedicação à Assembléia de Deus. Um dos momentos mais emocionais aconteceu quando Carlos Roberto Lopes, o pastor Carlinhos, amigo de Eleotério há 39 anos, usou a palavra para um discurso, que as lágrimas não o permitiram completar. A esposa do pastor, Elza Tortieri Coelho, acompanhou a cerimônia dentro de um carro. O caixão não foi exposto, permanecendo dentro do carro funerário, que ficou durante todo o tempo com as portas fechadas. Várias coroas de flores, enviadas por ramos da denominação e autoridades, foram dispostas.

No palco, além dos pastores, estiveram os deputados federais Enéas Reis (PSL) e Lincoln Portela (PL), pastor da Igreja Batista, além do filho deste, o deputado estadual Léo Portela (PL). Representando a Polícia Militar, o tenente Flávio Batista prestou a última continência a Sérgio, que trabalhou na corporação por treze anos. Fora do palco, acompanharam o serviço o prefeito eleito de João Monlevade, Laércio Ribeiro (PT); o vice-prefeito, Fabrício Lopes (Avante); o presidente da Câmara Municipal, Leles Pontes (Republicanos); os vereadores Vanderlei Miranda (PL) e Sinval Dias (PSDB); os secretários municipais de Educação, Teotino Damasceno, e de Obras, José Carlos Raimundo, pastor da Igreja Cristã Maranata; o prefeito de Dionísio, Francisco de Castro Souza Filho (MDB); e o vice-prefeito eleito de Nova Era, Moriá Benevides (PSL).

Após a homenagem, o cortejo fúnebre seguiu para o cemitério do Laranjeiras (novo do Baú), onde apenas a família foi autorizada a entrar.