Desde 1984
Geral
20 de Novembro de 2020
Abstenção cresce, mas brancos e nulos caem em Monlevade
Assim como aconteceu em todo país, nesta eleições, realizadas em meio à pandemia do coronavírus, cresceu o número de abstenções às urnas em João Monlevade. No último domingo (15), 14.287 eleitores não apareceram para votar no município, representando uma ausência de 23,92% dos aptos a votar. Nas últimas eleições, em 2016, os faltosos foram 12.007, totalizando 20,33% do eleitorado. A presença também caiu em termos absolutos: enquanto 47.067 eleitores compareceram às urnas em 2016, neste ano, foram 45.440 a procurar os locais de votação.

No entanto, diminuiu a quantidade de votos em branco e nulos no município. Em 2016, 4.861 monlevadenses, ou 10,32% do eleitorado, anulou o voto para prefeito, enquanto 2.384, ou 5,06% do público, preferiu apertar a tecla “branco”. Já em 2020, anularam o voto para o cargo majoritário 3.513 eleitores, ou 7,73% deles, enquanto 1.960 preferiram votar em branco, o equivalente a 4,31% dos alistados.

Já para decidir quais seriam os quinze ocupantes da próxima Câmara, 1.914 monlevadenses, ou 4,22% do total do eleitorado, votaram em branco, enquanto 2.324, ou 5,11% dos votantes, optaram pela anulação. Estes números são inferiores aos de 2016, quando 2.337 eleitores, representando 4,96% do total, preferiram assinalar o voto em branco, enquanto 2.956, ou 6,28% dos alistados, preferiu anular a sua escolha para vereador.

Para as eleições de 2016, João Monlevade tinha 59.077 eleitores, número que cresceu para 59.747 quatro anos depois. É importante assinalar que somente os votos válidos são contabilizados para determinar os vencedores do pleito, enquanto que votos em branco, nulos e as abstenções são desprezados, não influindo nos resultados mesmo se forem a maioria dos registros.