Desde 1984
Polícia
20 de Novembro de 2020
Professor vai à polícia contra fraude no FGTS emergencial
Um professor de João Monlevade procurou o A Notícia para relatar uma fraude em seu Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) emergencial. Cláudio Magno da Costa recebeu mensagens alertando sobre desvios nos recursos feitos através do aplicativo Caixa Tem. Ao verificar a situação do seu benefício, descobriu que o seu Cadastro de Pessoa Física (CPF) havia sido utilizado indevidamente por outra pessoa.

Ele conta que compareceu à agência da Caixa Econômica Federal (CEF) para pedir esclarecimentos, e foi informado de que a fraude aconteceu no dia 25 de agosto. O criminoso, ainda não-identificado, utilizou o telefone (11) 96547-3939, e pagou dois boletos bancários, um no valor de R$599,98 e outro de R$445,00, relativos ao FGTS emergencial. Ele procurou a polícia para registrar um boletim de ocorrência.

Ao A Notícia, o professor contou que já recebeu relatos de outras pessoas que também foram vítimas de crimes semelhantes. Ele pede que a população se atente para evitar mais casos de fraudes. Procurado, o delegado regional de Polícia Civil, Paulo Tavares Neto, explicou que, como o benefício é gerido pela Caixa, as investigações de casos dessa natureza são remetidas à Polícia Federal, com os processos correndo na Justiça Federal.