Desde 1984
Geral
16 de Outubro de 2020
Metade das secretarias mudou de comando durante governo Simone
Arquivo JAN
Equipe do governo Simone apresentada em 2016 passou por trocas
No entanto, prefeita manteve a maioria dos chefes em outras pastas

Mudanças na equipe de secretários são normais em qualquer gestão. No caso da prefeita Simone, ela chega ao fim do mandato trocando secretários de lugar. Poucos deixaram de fato o governo. Em 21 de dezembro de 2016, a então prefeita eleita Simone Carvalho (à época no PSDB) anunciava a composição do seu secretariado. Dos 18 nomes, dez já faziam parte do governo que terminava, chefiado pelo aliado Teófilo Torres (PSDB). Eram dez secretarias, cinco assessorias, duas direções-presidências de fundações municipais e uma diretoria-geral de autarquia, todas ocupadas por nomes de confiança da prefeita, como lhe permite a legislação.

Ao longo de quatro anos, metade dos cargos de primeiro escalão teve o comando substituído, enquanto a outra metade ficou com os mesmos chefes. Quando tomou posse, Simone Carvalho tinha Andréa Peixoto como secretária de Saúde, cadeira que ocupou até abril de 2020, quando foi substituída por Elisângela Almeida.

Elisângela, por sua vez, foi empossada como secretária de Planejamento, pasta hoje ocupada por Maria do Socorro Filgueiras. Maria das Graças Léles, a Lia, foi substituída na Secretaria de Administração por Marlene Pessoa, originalmente a assessora de Governo de Simone Carvalho. A assessoria ainda seria ocupada interinamente por Eduardo Bastos e, agora, por Will Jony, que em janeiro de 2017 era assessor de Comunicação, função hoje desempenhada por Thiago Moreira.

Paulo Guimarães, que começou o governo como secretário de Obras, foi substituído por Damião Teodoro, que por sua vez cedeu o lugar em 2020 a José Carlos Raimundo. A Secretaria de Fazenda, que cuida das finanças do município, estava nas mãos de Luciana Carvalho, que a passou para Tiago Duarte. A ex-vereadora Dolíris “Dorinha” Machado foi substituída na Secretaria de Assistência Social por Nádia Guimarães. Posteriomente, quem assumiu foi a servidora de carreira Ana Angélica Prandini de Assis. Por conta da candidatura de seu filho, o vice-prefeito Fabrício Lopes (Avante) em uma chapa rival, a diretora-presidente da Fundação Crê-Ser, Helenita Melo Pinto Lopes, deixou a função para ser desempenhada por Naira Ananias, servidora lotada na Procuradoria Jurídica, mas que também atua na assessoria de Comunicação.

Sem mudança

Anunciados ainda em 2016, permanecem nos mesmos cargos os secretários de Educação, Teotino Damasceno; de Serviços Urbanos, Rivaldo de Brito; de Esportes, Mário César da Silva; de Meio Ambiente, Fernanda Ávila. A procuradora jurídica do município, Racíbia Moura, também chega ao fim do mandato, assim como a chefe de Gabinete, Shirley Cosme. A controladora interna, Silvânia Santiago, e o diretor-geral do Departamento Municipal de Águas e Esgotos (DAE), Cleres Souza, também permanecem nas funções desde 2016. A Fundação Casa de Cultura continua sob a batuta de Claira Ferreira que, em 2020, ocupou interinamente o cargo de assessora de Comunicação. Hoje, ela também é secretária adjunta de Saúde.