Desde 1984
Geral
10 de Julho de 2020
“Mudança de reuniões só entra em pauta se vereadores pedirem”, diz Leles
A mudança no horário das reuniões da Câmara Municipal de João Monlevade depende de pedido dos vereadores. De acordo com o presidente do Legislativo, Leles Pontes (Republicanos), o projeto somente entrará em pauta se os parlamentares o pedirem: “Por mim, isso nem entrava em discussão”, diz Leles. A iniciativa já havia sido pautada na reunião do dia 24 de junho, mas um pedido de vistas de Vanderlei Miranda (PL) adiou a votação por sete dias. Na última sessão, o texto não foi votado nem discutido; segundo Leles, porque Vanderlei não compareceu à reunião ordinária.

O projeto de resolução estabelece que os vereadores se reúnam às 14 horas das quartas-feiras, e não mais às 17 horas como tornou-se tradição nas últimas décadas. A proposta havia sido feita pelos vereadores Lelê do Fraga (DEM), Toninho Eletricista (PTB), Pastor Carlinhos (PL), Cláudio Cebolinha (DEM), Fábio da Silva, Tonhão (ambos do Cidadania), Revetrie Teixeira (MDB), Sinval Dias (PSDB) e Vanderlei Miranda (PL), além de Leles Pontes.

De início, o texto previa que a transferência seria definitiva, mas uma emenda limitou o novo horário apenas ao período da pandemia. Contrários à mudança, os vereadores Belmar Diniz (PT), Djalma Bastos (PSD), Gentil Bicalho (PT), Guilherme Nasser (MDB) e Thiago Titó (PDT) protocolaram outra emenda ao projeto, que transfere as sessões ordinárias para as 18 horas. Eles alegam que, com os trabalhos sendo executados às 14 horas, grande parte do público ficaria impedida de assistir às reuniões.

Agora, segundo Leles Pontes, o projeto precisa dos votos de pelo menos dez vereadores para entrar em vigor. Se aprovado, a mudança de horário passa a ser aplicada já na sessão seguinte.