Desde 1984
Geral
10 de Julho de 2020
Vagas em Monlevade podem abrigar pacientes de BH com Covid-19
Arquivo JAN
Hospital Margarida tem 10 leitos vagos de UTI exclusivos para casos de coronavírus
A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) não descarta o transporte de pacientes de BH ou região metropolitana para o interior do estado. O governo reconhece que pode vir a ter falta de equipes para atuar nos leitos de UTI destinados aos pacientes com a Covid-19.

A informação é do chefe do gabinete da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MG), João Pinho, em coletiva virtual, realizada nesta semana. “Hoje, a gente tem uma ocupação no macrocentro superior a 80%, então a gente ainda tem uma certa quantidade de leitos disponível. Se no futuro a região vir a ser a mais afetada a gente sim levaria pacientes de Belo Horizonte para o interior”, disse.

Como João Monlevade dispõe de 10 leitos de UTI exclusivos para Covid-19 e nenhum internado, a cidade poderia receber os pacientes da capital. Até ontem, Monlevade havia registrado 355 casos confirmados de coronavírus, sendo que 93% destes já estão recuperados. Não havia pacientes confirmados com a doença internados no Hospital Margarida. A casa de saúde não recebeu mais que cinco internados ao mesmo tempo na UTI e na enfermaria desde o início da pandemia.

A Prefeitura de João Monlevade também prepara um Hospital de Campanha, no prédio do antigo PA e Secretaria de Saúde, no bairro Belmonte. O local tem 68 leitos para dar suporte ao Hospital Margarida, em caso de internação de pacientes menos graves. Porém, segundo a administração, ainda faltam equipamentos para iniciar atendimentos.

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, antes da pandemia, Minas Gerais tinha 2.072 leitos de UTI. Após a chegada do coronavírus, esse total passou para 3.351 leitos, um aumento superior a 50%. A maior parte deles foi aberta em hospitais que já possui estrutura de terapia intensifica para facilitar a operação. As regiões com maiores incrementos foram a Centro-Sul, que passou de 64 para 142 leitos, e Oeste, de 109 para 221 novos leitos de UTI.