Desde 1984
Geral
03 de Julho de 2020
“É impossível o Fabrício sair com o grupo do Carlos Moreira. Seria falta de vergonha nossaquot, diz Machadão
Reprodução
Estão fechadas as portas entre o MDB de João Monlevade e o grupo da prefeita Simone Carvalho (PTB). A afirmação é de Elgen Machado (foto), o popular “Machadão”, marido da ex-vereadora Dorinha Machado e uma das lideranças emedebistas no município. A informação também é confirmada pelo vice-prefeito Fabrício Lopes (Avante), que diz “não comungar” com as atitudes de Simone e de seu marido, o ex-prefeito Carlos Moreira, principal liderança do grupo governista.

Machadão diz que, nas eleições de 2016, o MDB foi o fator diferencial que garantiu a vitória de Simone, eleita com 126 votos de vantagem. No entanto, diz o empresário, Fabrício Lopes foi desprestigiado durante a gestão da então tucana. Em setembro de 2019, Marco Antônio Penido, assessor do vice-prefeito, foi exonerado, expondo o racha entre emedebistas e a administração. “Você pode escrever isso aí: é impossível o Fabrício sair [candidato] com o grupo do Carlos Moreira. Seria falta de vergonha nossa”, pontifica Elgen.

Machadão e Fabrício consideram também muito difícil que haja uma união entre seu grupo e o de Railton Franklin (PDT): “Ele já está com a candidatura fechada”, diz o vice-prefeito. Elgen Machado afirma que Railton não os procurou durante o período de articulação das pré-candidaturas. Além disso, o empresário diz que o médico, ex-vereador e ex-vice-prefeito se precipitou ao levar para os seus aliados um vereador então filiado ao MDB, Pastor Carlinhos (agora no PL).

No entanto, o grupo emedebista confirma conversações com outros dois pré-candidatos à Prefeitura: a ex-vice-prefeita Conceição Winter (Cidadania) e o médico e ex-prefeito Laércio Ribeiro (PT). Fabrício confirma que conversa não somente com Laércio, mas também com a cúpula petista. Sobre uma eventual aliança com a legenda vermelha, Machadão diz que não quer trazer problemas nacionais para a eleição em João Monlevade.

Atualmente, o MDB de Machadão está unido ao Avante, ao qual Fabrício Lopes filiou-se em abril, ao Democratas dos vereadores Cláudio Cebolinha e Lelê do Fraga, e ao Podemos. No fechamento da janela partidária, em abril, o grupo trouxe para si o vereador Guilherme Nasser (ex-PSDB, agora no MDB) e o empresário Nilo Ferreira Pinto, o popular “Nilo da Brahma”. Além de Guilherme, o grupo ainda tem o vereador Revetrie Teixeira, que já era filiado ao MDB.