Desde 1984
Geral
19 de Junho de 2020
Telhado do Velório Municipal de Monlevade pode custar mais de R$40 mil
A Prefeitura de João Monlevade pretende gastar até R$41.500,80 com o telhado do prédio do Velório Municipal. O edital de contratação da empresa que comprará e instalará as telhas galvanizadas no prédio do bairro José de Alencar está disponível no site da Prefeitura.

As empresas concorrentes poderão visitar o espaço, e todas elas deverão assinar um documento que atesta que elas têm capacidade técnica e financeira de executar a obra. A abertura dos envelopes está prevista para as 14 horas do dia 13 de julho.

O Velório Municipal havia sido reformado em 2016, ao custo de R$200 mil aos cofres monlevadenses, mas já no ano seguinte teve de passar por intervenções emergenciais para corrigir falhas no telhado. Em maio de 2019, uma cerimônia fúnebre foi interrompida pela água que caía sobre o caixão.

O problema maior foi no dia 19 de janeiro de 2020, quando uma goteira se abriu na capela 1 do Velório Municipal, enquanto um falecido era velado. Familiares tiveram que remover o corpo às pressas.

Com o velório público fechado, a Prefeitura de João Monlevade alugou o térreo do prédio da avenida Getúlio Vargas, 7.284, no bairro Santa Bárbara. Os primeiros funerais foram realizados em 29 de janeiro. No entanto, a contratação gerou desconfiança: o poder público alugou o andar térreo por R$7 mil, mas uma comissão avaliou que o preço justo seria de R$3,9 mil.

Para justificar o aluguel, o Executivo então alugou também o segundo andar. A alegação é de que não havia outro imóvel mais barato e em condições de ser usado como velório, e o proprietário não aceitava alugar apenas o térreo. Além disso, o prédio estava registrado nos arquivos da Prefeitura como sendo um lote vago. Posteriomente, a Prefeitura garantiu que a documentação estava correta.

O advogado Gleidson Caetano chegou a ingressar com uma ação no Ministério Público pedindo que o caso fosse investigado.