Desde 1984
Polícia
30 de Maio de 2020
'Asilo precisa de muro nos fundos', diz vice-presidente


Apelo acontece depois de furto de televisor

O Asilo Lar São José de João Monlevade foi furtado na madrugada deste sábado (30). De acordo com a vice-presidente da instituição, Maria Fonseca de Miranda, o ladrão entrou pelos fundos da instituição, localizada no bairro Laranjeiras, arrancou os fios do sistema de segurança e roubou um televisor.

Antes de ir embora, o ladrão ainda tomou o café dos idosos e misturou biscoitos no arroz doce que estava pronto. Um funcionário chegou a ouvir um ruído vindo da cozinha, mas pensou que fosse algum dos residentes que havia ido tomar café.

A Polícia Militar esteve no local e já iniciou as buscas pelo criminoso e pelo aparelho.

Para a vice-presidente, a falta de um muro cercando os fundos do asilo oferece riscos a residentes e funcionários. Ela pede que a Prefeitura tenha mais atenção e providencie a construção da barreira, pois atualmente a instituição é protegida apenas por uma cerca.

Maria ainda pede doações de dinheiro e materiais de construção à comunidade para serviços essenciais, como a reforma dos banheiros. Ainda segundo a vice-presidente, várias pessoas se voluntariaram a doar um novo televisor ao Lar São José.

A instituição, totalmente mantida com o dinheiro de doações. Atualmente, atende a 31 idosos, em sua maioria, cadeirantes, que recebem abrigo, alimentação, higiene e carinho no local.

O crime covarde e insensível, deixou a sociedade perplexa na manhã de hoje. Um dos fundadores do Rotary Club, Gilson Brum, disse que o ato deixa a todos tristes e preocupados.'Estamos tristes e preocupados com o acontecimento que ocorreu nesta madrugada no nosso Lar São José, ladrões entraram pelo fundo onde não tem muro e roubaram a televisão do refeitório e ainda entraram na enfermaria e desligaram os cabos das câmeras. De se admirar o coração ruins das pessoas! Asilo pobre tudo conseguido com doações e sacrifícios! Hoje é sia de total desapontamento para nós monlevadenses', desabafou.