Desde 1984
Geral
25 de Maio de 2020
Pastores pressionam Prefeitura por retomada das igrejas
Um grupo de pastores de igrejas evangélicas de João Monlevade iniciou um movimento para pedir a reabertura dos templos e a permissão para retorno dos cultos. Catorze deles, de diferentes igrejas, assinaram um documento, endereçado à prefeita Simone Carvalho (PTB), pedindo autorização para o retorno das atividades das igrejas, seguindo as recomendações do Ministério da Saúde.

Os templos religiosos estão fechados desde 20 de março, quando a prefeita assinou o decreto que proibia o funcionamento de diversos espaços públicos, como uma medida para conter a proliferação do Covid-19.

Um dos líderes evangélicos que defende o retorno das atividades religiosas é o pastor Jésus Reis, da igreja Servindo a Cidade. Em um vídeo publicado nas redes sociais, ele disse que a prefeita não se preocupou em responder ao documento dos pastores, e criticou a procuradora jurídica do município, Racíbia Moura, que segundo ele, é protestante. O pastor disse que a Prefeitura tem 'duplo critério': 'O comércio e a Caixa Econômica podem abrir e aglomerar pessoas. Você, prefeita, se esquece de que a Igreja está protegida pela Constituição Federal, artigo quinto, inciso seis'. No entanto, ele ressaltou que o compromisso dos pastores é de que os cultos sejam retomados seguindo as recomendações de higienização do Ministério da Saúde. No vídeo, Jésus ainda prometeu que, caso a permissão não seja concedida, 'nós vamos cercar essa Prefeitura de homens e mulheres de Deus, e nós vamos orar, e tudo o que está contra a Igreja vai cair por terra', afirmou.

O assunto já havia sido levantado por outro líder protestante, o vereador Pastor Carlinhos (MDB) , na reunião do último dia 13 de maio. O parlamentar que é membro da Assembleia de Deus, defendeu a retomada das atividades religiosas no município: 'Onde é que as pessoas vão curar a alma? É nas igrejas. O cristão anda de ônibus, vai à lotérica, à Caixa Econômica, ao supermercado, e está tudo cheio'. Ele disse que chegou a enviar um plano de ação para retomar os cultos, respeitando as recomendações das autoridades de saúde, mas que não obteve resposta.

A Prefeitura de João Monlevade, através da assessoria de Comunicação, disse que está avaliando o pedido dos pastores.