Desde 1984
Brasil e o Mundo
20 de Maio de 2020
Após pressão do Congresso, MEC anuncia adiamento do Enem 2020
Segundo Ministério da Educação, aplicação das provas previstas para novembro serão adiadas de 30 a 60 dias em relação ao cronograma previsto; pandemia do coronavírus motivou a decisão

Por meio de nota, o Ministério da Educação (MEC) anunciou nesta quarta-feira (20) o adiamento da realização das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), previstas para novembro.

Segundo o MEC,a aplicação dos exames nas versões impressa e digital serão adiadas de 30 a 60 dias em relação às datas previstas anteriormente.

A aplicação das provas impressas do Enem 2020 estavam programadas para os dias 1º e 8 de novembro, já o exame digital aconteceria nos dias 22 e 29 de novembro.

De acordo com o ministério o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) promoverá em junho uma enquete direcionada aos inscritos do Enem 2020.

Quanto ao prazo para as inscrições no exame, nada muda até então. Elas seguem abertas até as 23h59 desta sexta-feira (22).

<strong>Pressão dos parlamentares</strong>

Ontem, o Senado havia aprovado, via projeto de lei, o adiamento das provas do Enem em um claro movimento de pressão ao governo, que apesar da promessa de postergar a realização do exame, ainda mantinha a data inicial prevista.

Antes da votação do projeto nesta segunda-feira (18), os senadores chegaram a pedir ao próprio ministro da Educação Abraham Weintraub o adiamento do Enem, mas não obtiveram resposta positiva para a demanda.

Na semana passada, após encontro com o presidente Jair Bolsonaro, o presidente da Câmara, deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ), também havia feito o pedido do adiamento do Enem 2020 por conta da pandemia da Covid-19. Bolsonaro chegou a afirmar que o exame poderia ser remarcado, mas não houve avanço na alteração.