Desde 1984
Geral
01 de Abril de 2020
Em menos de 24h, Monlevade registra segunda morte por suspeita de coronavirus
Reprodução
Paciente estava internado no Margarida
Nesta semana, João Monlevade registrou duas mortes por suspeita de coronavírus, com um diferença de menos de 24h. A primeira, ocorreu na noite de terça-feira (31). Um idoso de 81 anos deu entrada no Hospital Margarida e faleceu pouco tempo depois, com quadro de insuficiência respiratória.

O médico e ex-prefeito Laércio Ribeiro comentou o óbito por suspeita de coronavírus e fez alertas à população. “Se o surto desse vírus vier rápido, vai faltar CTI para quem precisar. Sigam as recomendações dos especialistas e vamos fazer o esforço de ficarmos em casa”, alertou.

Já no fim da tarde de quarta-feira (1º), a segunda morte por suspeita de coronavírus na cidade foi anunciada pela Prefeitura. Segundo a administração, o paciente era idoso e estava internado no Hospital Margarida em tratamento por suspeita da doença.

Segundo protocolo do Ministério da Saúde, as amostras de materiais genéticos dos dois falecidos foram colhidas e serão enviadas à Fundação Ezequiel Dias (Funed), que vai confirmar ou descartar a doença. O município ainda não tem casos confrmados.

João Monlevade terminou ontem (2), com o registro de 167 casos suspeitos de coronavírus. Três foram descartados. Segundo a Prefeitura, 28 casos aguardam resultados de exames. Os dois óbitos ocorridos nesta semana seguem em investigação. A coleta de material genético a ser enviado à Funed é feita em pacientes graves ou profissionais de saúde.

Sobrinha relata histórico de problemas respiratórios do tio falecido com sintomas

Uma sobrinha do senhor de 81 anos, que faleceu com suspeita de coronavírus em João Monlevade, entrou em contato com o Jornal A Notícia e relatou histórico de problemas respiratórios dele. A pedido da mulher, a identidade dela e do tio foram preservadas para não expor a família, que está em sofrimento.

Segundo ela, o tio tinha graves problemas respiratórios há anos e que poderia falecer em decorrência deles a qualquer momento. 'Meu tio tinha enfisema pulmonar. Lamento que a partida dele tenha ocorrido neste momento de pandemia mundial', disse.

Ela mora na Itália e desmentiu boatos espalhados em redes sociais, de que o tio tenha morrido após ter contato com parentes que vieram daquele país. 'Há exatamente um ano não vou a Monlevade, onde nasci e fui criada e onde vive minha família. Meu contato é virtual e por telefone. Estão espalhando mentiras que são tristes e falta de respeito com minha família', afirmou.

Ela disse que não está impedida de voltar ao Brasil, mas por uma questão de bom senso, evita viajar neste momento grave pelo qual a Itália está passando, o Brasil e o mundo. 'Quando passar, volto para visitar meus familiares e rever a minha cidade', afirmou.
Reprodução
comunicado da Prefeitura
Reprodução
comunicado da Prefeitura