Desde 1984
Polícia
24 de Março de 2020
Comerciantes se reúnem com PM para alinhar ações sobre coronavirus
João Vitor
Reunião foi no quartel com representantes da Prefeirura


Comeciantes de João Monlevade se reuniram na manhã desta terça-feira (24) para discutir novas providências a serem tomadas no enfrentamento ao coronavírus em Monlevade. No encontro, realizado na sede da 17a Companhia Independente de Polícia Militar, os lojistas, principalmente donos de supermercados, tiraram dúvidas sobre o decreto de isolamento social assinado pela prefeita Simone Carvalho (PSDB) na sexta-feira (20).

Em entrevista coletiva realizada hoje, a procuradora jurídica do município, Racíbia Moura, relatou que os comerciantes garantiram que os clientes estão sendo instruídos a evitarem aglomerações; as mercadorias estão sendo entregues normalmente, e não haverá desabastecimento na cidade. Eles disseram que estão instruindo os clientes, mas não há medidas impositivas a serem cumpridas.

Racíbia garantiu também que os estabelecimentos que descumprirem a determinação serão multados e podem ter o alvará cassado, embora nenhuma ocorrência desse tipo tenha sido registrada.

Os supermercadistas relataram que, apesar do grande movimento na sexta e no sábado, o fluxo de compradores já diminuiu bastante. O tenente Ezequias, da Polícia Militar, informou que a corporação está nas ruas e orientando a população a evitar ficar nas ruas. Segundo ele, o maior número de registros é de bares dos bairros afastados, embora todas as abordagens sejam feitas amistosamente e não haja necessidade de uso de violência nem caso de prisão.

O tenente Flávio Batista apelou novamente à população, especialmente aos idosos, a que fiquem em casa: segundo ele, muitos senhores ainda estão nas ruas e usando o transporte público. A Polícia Militar orientou ainda que pequenas ocorrências, como perda de documentos ou acidentes de trânsito sem vítimas, podem ser registrados através da Delegacia Virtual, sem a necessidade de ir a um quartel ou delegacia física. Por sua vez, a secretária-adjunta de Saúde, Elisângela Bicalho, reiterou que o sistema público está focado no combate ao coronavírus e nos casos de urgência. Elisângela relatou, no entanto, que muitos pacientes eletivos ainda procuram as unidades de saúde para buscar exames, por exemplo, o que deve ser evitado neste período.