Desde 1984
Geral
21 de Fevereiro de 2020
Werneck ainda não depôs sobre denúncias no posto
Mais de um mês após virem a público as denúncias de venda de drogas e medicamentos abortivos no Centro de Saúde do bairro Novo Cruzeiro, o gerente da unidade, José Benísio Werneck (foto), ainda não prestou depoimento à Polícia Civil. O ex-vereador confirmou, no início da semana, que ainda não foi chamado para prestar esclarecimentos às autoridades policiais, mas que já contratou um advogado para defendê-lo durante todo o curso das investigações e de um eventual processo judicial.

Werneck, que chefiava o Posto à época dos supostos acontecimentos, negou a existência do comércio de medicamentos ilegais ou venda de drogas no interior do posto, conforme as denúncias apresentadas.

No entanto, a procuradora jurídica do município, Racíbia Alves de Moura, confirmou que Werneck já prestou depoimento para as instâncias administrativas assim que as denúncias foram feitas pelos radialistas da Comunicativa FM, Chico Franco e Mariléia Miranda, em 7 de janeiro. De acordo com os delegados regionais Paulo Tavares e Camila Alves, o inquérito corre em sigilo. Em janeiro, a PC já falava em oito meses de investigações sobre o caso.