Desde 1984
Região
17 de Fevereiro de 2020
Duplicação da BR381 e BR262 é destaque em pacto entre Minas e Espírito Santo
Arquivo JAN
Duplicação da rodovia é protagonista de acordo entre governos de Minas Gerais e Espírito Santo.
<p class='ql-align-center'><strong>O investimento total para duplicar as duas rodovias deve passar dos R$1,9 bilhões</strong><p class='ql-align-center'><p class='ql-align-justify'>A duplicação da BR-381 e da BR-262 são prioridades dos governos de Minas Gerais e do Espírito Santo. Os governadores Romeu Zema (NOVO-MG) e Renato Casagrande (PSB-ES) assinaram nesta segunda-feira (17) um pacto do plano estratégico para promover o desenvolvimento e simplificar as regras tributárias nos dois estados. <p class='ql-align-justify'><p class='ql-align-justify'>O governador mineiro falou sobre os planos para depois da duplicação: “<span style='background-color: rgb(254, 254, 254); color: black;'>Vai fazer com que os capixabas e os mineiros possar sair do litoral e vir para Belo Horizonte em uma velocidade de 70 ou 80 km/h. Hoje, é a metade. É uma estrada cara e será necessário que o governo federal faça algo a mais e ele já sinalizou que vai fazer porque nenhum investimento privado iria conseguir viabilizar essa obra”, disse Zema. </span><p class='ql-align-justify'><p class='ql-align-justify'>O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Fábio Roscoe, disse ao jornal O Tempo que pediu celeridade na duplicação: “<span style='background-color: rgb(254, 254, 254); color: black;'>A prioridade é a 381, que, atualmente, está em obras, mas em um ritmo muito lento. O ministro Tarcísio (Freitas, ministro da Infraestrutura) garantiu que vai vir a locação de recursos e que vai realizar a concessão do restante ainda este ano.</span>”<p class='ql-align-justify'><p class='ql-align-justify'>O investimento total para duplicar as duas rodovias deve passar dos R$1,9 bilhões. A obra de duplicação do trecho entre Belo Horizonte e Governador Valadares da BR-381 começou em 2014, e até hoje prossegue em marcha lenta, com vários trechos com obras por fazer. Outro ponto levantado no pacto é a facilitação do cumprimento das leis dos dois estados: “<span style='background-color: rgb(254, 254, 254); color: black;'>Nós vamos simplificar a legislação entre os dois Estados em todas as nuances do ponto de vista fiscal para permitir que empresas que operem no Espírito Santo possam ter segurança jurídica quando operam em Minas Gerais e vice e versa</span>