Desde 1984
Geral
14 de Fevereiro de 2020
Carnaval movimenta cidades da região
Os municípios do Médio Piracicaba já se preparam para as festividades do Carnaval 2020. Quem começa a folia já neste fim de semana é São José do Goiabal, com o CarnáGoiaba, que traz os grupos Bolêros do Samba (14) e o bloco Baianas Ozadas (15), além da matinê a partir das 17 horas de sábado (15), dos blocos e da orquestra de sopro e marchinhas. Em Itabira, que já recebeu o bloco Madalena não Gosta de Poema no último domingo (9), acontecem os desfiles dos blocos no bairro Campestre e no distrito de Ipoema. João Monlevade, por sua vez, recebe o bloco Sapeca-Ia-Iá, que atravessa o Centro Industrial entre os dias 22 e 25, com o tema “O bloco do amor”.

Outra cidade que terá comemorações é Bom Jesus do Amparo. No sábado (22), sobe ao palco a banda Fator R3; no domingo (23), é a vez da Ponto G; já na segunda (24), se apresenta Wesley Silva, enquanto que na terça-feira (25), é o conjunto TyKerê que sobre ao palco. Haverá matinês todos os dias.

Dona de um dos carnavais mais tradicionais do Médio Piracicaba, Alvinópolis já começa a festa na quinta-feira (20), com o cantor Marcelo Falcão, ex-O Rappa. Na sexta-feira (21), sobe ao palco a banda Samba Club, enquanto que no sábado (22), é a vez de Dani Morais. No domingo (23), se apresenta Luxúria; na segunda-feira (24), R5; a festa termina na terça-feira (25) com o Sunga de Pano.

São Domingos do Prata, cidade-lenda do Carnaval, não ficará sem a festa. Da quinta-feira (20) até a terça-feira (25), o CarnaPrata traz blocos, DJs e bandas de estilos diversos. Um dos destaques é o Bloco do Sujo, tradição da cidade há vários anos, e que se apresenta do sábado à terça-feira. Santa Bárbara, por sua vez, lança o CarnaBlocos entre sexta e terça-feira. Entre os destaques, estão o BatCaverna, de Diamantina, e o Baianas Ozadas, de Belo Horizonte.

São Gonçalo do Rio Abaixo é outro entre os municípios da região com quatro dias de folia. Entre os dias 22 e 25, mais de vinte atrações diferentes se revezam no palco da Praça Central e nas ruas e avenidas da cidade. Serão blocos, bandas, DJs, duplas, matinês para crianças e batucadas para todos os gostos.

Outras cidades, no entanto, decidiram cancelar a festa por conta das chuvas que caíram no dia 25 de janeiro. Em Rio Piracicaba, a escola de samba Unidos de São Miguel decidiu desfilar por conta própria, sem o auxílio da Prefeitura. Em Nova Era e em Santa Maria de Itabira, os Executivos também optaram por cancelar a folia para concentrar esforços e recursos na reconstrução das cidades e no auxílio aos afetados. A Prefeitura de Sem-Peixe também não promoverá o Carnaval. Outras cidades com festas tradicionais, como Bela Vista de Minas, não divulgaram as programações até o fechamento desta edição.

<strong>Com o lema “O bloco do amor”, Sapeca-iá-iá conta com apoio da Prefeitura de João Monlevade</strong>

Como aconteceu nos últimos anos, a prefeita de João Monlevade, Simone Carvalho (PSDB), voltou a garantir, através de sua Assessoria de Comunicação, que o carnaval do Sapeca-iá-iá será um sucesso em 2020. Segundo as informações, graças à parceria entre a Prefeitura de João Monlevade e o Grupo Sapeca-iá-iá, vai acontecer, nos dias 22 a 25 de fevereiro, o Carnaval 2020, com o tema “O bloco do amor'. O evento será realizado no percurso da praça do bairro Tieté até à Praça da Igreja São José Operário, onde haverá a concentração dos foliões.

A prefeita assegurou, ainda através de sua assessoria que, mais uma vez, haverá o apoio da Prefeitura, com completa estrutura, sonorização, banheiros químicos, com local ornamentado e trânsito devidamente sinalizado para a segurança de todos. Em janeiro aconteceu uma reunião na rua Beira Rio com integrantes do grupo, mas a prefeita não compareceu. Ela foi representada pelo marido, o radialista e ex-prefeito Carlos Moreira, quem definiu o que a Prefeitura iria liberar.

Na foto do encontro, apesar de presente, Moreira não apareceu e o governo de sua esposa foi representado na imagem pelo assessor de Comunicação, Will Jony Gomes Nogueira. Um dos fundadores do bloco, o cantor Rômulo Rás, explicou em rede social que saiu do grupo por discordar das interferências políticas no tradicional carnaval do Tieté, por anos bancado pelos próprios moradores.