Desde 1984
Região
13 de Fevereiro de 2020
Mauri desempata e TCE aprova contas de exgovernador petista
Arquivo JAN
Mauri Torres foi deputado estadual pelo PSDB.
Historicamente ligado ao PSDB, partido que rivaliza com o PT, o presidente do Tribunal de Contas de Minas Gerais (TCE- MG) Mauri Torres, não levou em consideração a possibilidade de revanchismo político ao “salvar” o ex-governador Fernando Pimentel (PT) de ter as contas de mandato reprovadas. Após empate nos votos dos conselheiros, ficou a cargo do presidente da Corte, Mauri Torres, o “voto de Minerva”. Citando as perdas da Lei Kandir e a situação fiscal que atinge hoje todo o país, o presidente votou pela aprovação das contas do ex-governador petista.

A sessão extraordinária do TCE, na quarta-feira (12), foi a primeira de 2020 e tratou pela segunda vez do Balanço Geral do Estado de Minas Gerais do último ano de Pimentel no cargo governador do Estado. Em novembro do ano passado, os conselheiros já haviam analisado as contas de Pimentel. Na época, os conselheiros Durval Ângelo e Sebastião Helvecio e o conselheiro substituto Licurgo Mourão votaram pela aprovação com ressalvas das contas do governador, enquanto os conselheiros José Alves Viana, relator do processo, e Wanderley Ávila, revisor dos autos, emitiram parecer pela rejeição.

O último a votar naquela ocasião, Mauro Terrão, pediu vista do relatório e, nesta semana, voltou ao plenário emitindo parecer contrário às contas do ex-governador. Com o empate, o voto final coube ao presidente Mauri Torres. Agora, a indicação do TCE será agora encaminhada à Assembleia Legislativa que dá a palavra final, se acata ou não a orientação da Corte.