Desde 1984
Brasil e o Mundo
14 de Janeiro de 2020
Backer terá que recolher todas as suas cervejas e suspender venda
DO JORNAL O TEMPO

Medida foi tomada pelo Ministério da Agricultura até que se encerre as investigações sobre a contaminação das bebidas produzidas

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) intimou nesta segunda-feira (13) a Cervejaria Backer a fazer recall, ou seja, recolher todas as cervejas de suas marcas produzidas desde outubro de 2019, além de suspender as suas vendas. A medida visa preservar a saúde dos condumidores.

Sendo assim, a comercialização dessas bebidas esta suspensa até que seja descartada a possiblidade de contaminação por subtâncias tóxicas ao ser humano dos demais produtos.
As análises realizadas pelos Laboratórios Federais de Defesa Agropecuária nas amostras dos produtos Belorizontina e Capixaba (que são a mesma bebida) onfirmaram a presença dos contaminantes monoetilenoglicol e dietilenoglicol. Até o momento, três amostras foram analisadas.

Estes produtos já estavam e continuam sendo retirados do mercado, por recolhimento feito pela própria empresa e por ações de fiscalização e apreensão dos serviços de fiscalização do Mapa.

O Mapa frisou que ainda não há resultado laboratorial que confirme a presença das substâncias nas bebidas produzidas por outras marcas da empresa. Elas estão sendo analisadas e, caso forem constatadas a presença de produtos tóxicos, novas medidas serão tomadas pela pasta.

Ainda não há informações sobre como será feito esse processo de recall das cervejas. Veja a nota da Cervejaria Backer sobre o assunto na íntegra:

A Backer informa que a medida de recall solicitada pelo Ministério da Agricultura está sendo objeto de apreciação judicial para revogação do ato. A cervejaria reitera que não faz uso do dietilenoglicol em seu processo produtivo e que o episódio apurado pelas autoridades, limita-se ao lote “Belorizontina”, não tendo qualquer relação com os demais rótulos da empresa, que possui processos autônomos de produção.

Na última sexta-feira (10), o Mapa interditou a fábrica da cervejaria como medida cautelar, enquanto as investigações sobre as susbtâncias tóxicas encontradas na cerveja Belorizontina.

Foram apreendidos 139 mil litros de cerveja engarrafada e 8.480 litros de chope. Também foram lacrados tanques e demais equipamentos de produção.