Desde 1984
Brasil e o Mundo
09 de Janeiro de 2020
PC inspeciona cervejaria por contaminação misteriosa
Reprodução/Uarlen Valério/O Tempo
Polícia Civil investiga se cervejaria é a fonte de doença misteriosa que matou um homem.
Do Jornal O TEMPO - A Polícia Civil está na tarde desta quinta-feira (9) na sede da fábrica da cervejaria Backer, no bairro Olhos D’Água, na região Oeste de BH. Um dos produtos da empresa, a cerveja Belorizontina, foi atrelado recentemente, em relatos nas redes sociais, a uma doença misteriosa que já matou uma pessoa e deixou outras sete internadas em Minas Gerais. A empresa nega a relação (leia mais abaixo). Todas as vítimas estiveram no bairro Buritis, na capital.
Nenhuma informação foi passada pela Polícia Civil sobre a motivação da presença dos agentes na cervejaria. Mas a reportagem apurou que a polícia está no local como parte das investigações que foram abertas para apurar as causas da morte e da nova doença.
A reportagem está no local e constatou que pelo menos uma viatura da corporação deu entrada à fábrica, que ocupa um quarteirão inteiro do bairro.
Backer nega qualquer problema
Assim que começaram a surgir as primeiras mensagens de WhatsApp relacionando a Belorizontina à doença misteriosa, a Backer se pronunciou pelas redes sociais, dizendo que não há problemas com a bebida e que as notícias eram mentirosas.
A assessoria de imprensa da Backer também foi procurada nesta quinta e a reportagem de O TEMPO aguarda retorno do caso.
Leia na íntegra:
"Nos 20 anos de história da cervejaria sempre prezamos, acima de tudo, pela qualidade de nossos produtos, que são produzidos e monitorados por excelentes profissionais do setor, pelo nosso laboratório interno e chancelados por laboratórios externos credenciados. Nossos fornecedores de matéria prima enviam laudos e certificados de cada lote dos insumos utilizados de cada produção. Monitoramos todos os lotes de cervejas que vão para o mercado e somos fiscalizados por todos os órgãos de vigilância sanitária e Ministério da Agricultura. Devido ao grande sucesso da Belorizontina e a grande concorrência no mercado, utilizam dessa notícia Mentirosa, para atingir a marca Belorizontina que é tão querida pelos mineiros e não passa de uma tentativa de denegrir a nossa imagem. As medidas legais já estão sendo tomadas para punir os responsáveis dessa Mentira."
Doença misteriosa
Dados da Secretária de Estado de Saúde (SES), mostram que já são oito vítimas da doença misteriosa que causa insuficiência renal grave e problemas neurológicos. Sete continuam internadas e uma morreu.
A vítima fatal é o bancário Paschoal Demartini Filho, de 55 anos, morador de Ubá, na Zona da Mata. Segundo familiares, ele e um genro ingeriram a Belohorizontina no bairro Buritis, região Oeste, no fim de dezembro. Esse genro de 37 anos também está internado com a doença.
"Ele (o Paschoal) foi passar o Natal com a filha em Belo Horizonte. Dia 26 retornou a Ubá onde mora e no mesmo dia começou a sentir que não estava urinando. Procurou médico, logo internaram. O quadro piorou e consequentemente já entrou com diálise e foi imediatamente transferido pra Santa Casa de misericórdia em Juiz de Fora", contou Marcos Demartini, de 49 anos, primo da vítima fatal.
O primo disse que as duas vítimas estavam saudáveis e não tinham nenhuma patologia anterior. "A família está arrasada, ninguém esperava um desfecho desses. Os médicos ainda não sabem o que aconteceu, estamos esperando mais informações", disse Marcos.
Outras sete homens permanecem internadas em hospitais particulares de Belo Horizonte. De acordo com a pasta, os pacientes começaram com sintomas gastrointestinais, como náusea, vômito e dor abdominal, associados à insuficiência renal aguda grave de evolução rápida, que progride em 72 horas, seguida de uma ou mais alterações neurológicas, como paralisia facial, borramento visual, amaurose, ou seja, perda de visão, alteração de sensório e paralisia descendente.