Geral
11 de outubro de 2018

Exclusivo: ENTREVISTA TITO TORRES - Reeleito com quase 80 mil votos, Tito Torres agora é o único deputado da região

Luiz Santana
Deputado estadual Tito Torres foi reeleito com votação expressiva

Monlevadense foi o candidato a deputado estadual mais votado do PSDB em Minas Gerais

Filho mais novo do ex-deputado estadual e atual Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Mauri Torres, Tito, de 34 anos, foi administrador de fazenda leiteira e gerenciou a Rádio Cultura, em Monlevade. Em 2015, assumiu seu primeiro mandato na ALMG e passou a integrar o bloco de oposição, Verdade e Coerência. Na Assembleia, é membro efetivo das comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária e de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Agora foi reeleito com quase 80 mil votos


O deputado estadual Tito Torres (PSDB) foi reeleito com 78.862 votos, alcançando a 17ª posição entre os 77 deputados eleitos no domingo (7) em Minas Gerais. O monlevadense foi o candidato mais votado do PSDB no estado. Tito também foi o candidato a deputado estadual mais votado em João Monlevade, com 7.073 votos.
Além de ser majoritário em sua terra natal, ele foi bem votado em diversas cidades da região e em outras partes do estado. Em relação ao pleito de 2014, quando obteve 58.670 votos, ele aumentou sua votação num momento em que muitos políticos perderam votos. Confira entrevista exclusiva com o parlamentar, falando das eleições, de sua vitória e das propostas para o segundo mandato para a região:
A que o senhor atribui o crescimento expressivo de sua votação, num cenário em que muitos políticos perderam votos? Essa era a sua expectativa?
Em primeiro lugar, agradeço aos que nos deram a confiança do voto. Durante meu mandato, aumentei minha base de apoio trabalhando por vários municípios e em diferentes regiões. Fiz um trabalho que trouxe resultados visíveis paras as cidades que, sem dúvidas, me ajudou a conquistar novos eleitores.
Com a derrota de Nozinho e a não eleição de outro nome, o Médio Piracicaba perde representatividade. O senhor, agora, é o deputado da região. A responsabilidade aumenta? Como será seu compromisso com as cidades da região?
Meu compromisso é o de continuar trabalhando a favor dos municípios que me elegeram. O Médio Piracicaba é a minha região natal e agora, mais do que nunca, tenho o dever de ser o porta-voz de nossas cidades junto ao governo do Estado.
O que o senhor espera para o segundo mandato? Aliás, o que os cidadãos podem esperar do deputado estadual Tito Torres na ALMG?
Vou continuar representando efetivamente os municípios, exercendo um mandato próximo ao Governo para garantir que nossas demandas sejam priorizadas. Continuarei meus esforços para viabilizar recursos, principalmente, para as áreas de saúde, educação, infraestrutura e segurança dos municípios. Os mineiros podem esperar um trabalho de defesa de seus direitos e interesses e de fortalecimento de suas cidades.
Quais projetos o senhor quer desenvolver nos próximos quatro anos?
Nos próximos quatro anos, precisamos fazer com que se cumpra os repasses de recursos de impostos, como ICMS e IPVA, do Estado para os municípios e a normalização de repasses do Programa de Transporte Escolar e dos recursos para a saúde. O Governo precisa pagar o que deve para que as cidades possam regularizar suas situações. Esse é um esforço que farei não só para a região, mas para todo o Estado. Especificamente para as cidades do Médio Piracicaba, quero fortalecer o trabalho para a ampliação da UEMG; propor e intermediar a criação de uma política estadual para acompanhar o exaurimento de minas, com foco em alternativas para diversificação econômica das cidades mineradoras; trabalhar para a viabilização da conclusão de obras inacabadas (especialmente estradas), dentre outras.
Na sua visão, como era o Tito de 2014 e como ele está em 2018?
Nos últimos 3 anos e 8 meses ganhei muita vivência e experiência política. Felizmente, consegui realizar um mandato que atendeu expectativas, o que me mostrou que estou no caminho certo.
Agora, mais experiente, pensa em colocar o nome à disposição para ocupar a mesa diretora?
Ainda é cedo. Estamos esperando o segundo turno das eleições para a partir de então fazer definições.
O grupo do PSDB foi surpreendido pela chegada de Romeu Zema ao segundo turno?
Não foi uma surpresa. Através de pesquisas, já avaliávamos essa tendência de crescimento. O que nos surpreendeu foi o número de votos recebidos.
Seu candidato ao governo de Minas, Antonio Anastasia, também perdeu em Monlevade, mesmo com apoio da prefeita Simone e do marido dela, Carlos Moreira. Como será a campanha na cidade no segundo turno?
Vamos reforçar a nossa campanha e mostrar aos monlevadenses que Anastasia é um grande gestor que fez muito pela nossa região. Se temos hoje um CTI no Hospital Margarida e podemos contar com duas universidades públicas, isso se deve ao trabalho de Anastasia. É preciso que a população perceba que temos a opção de colocar o Estado verdadeiramente nos trilhos com um político experiente que vai priorizar o bem-estar das pessoas e as necessidades dos nossos municípios.
Anastasia vence as eleições? Em caso de derrota, como será a sua atuação na ALMG com o novo governo?
Estamos confiantes na vitória de Anastasia e intensificando a campanha para que os mineiros percebam que as propostas dele são as mais coerentes com a realidade de nosso Estado.