De acordo com denúncias de diversos monlevadenses, em contato com o jornal A Notíci...">
De acordo com denúncias de diversos monlevadenses, em contato com o jornal A Notíci..." />
Policia
5 de outubro de 2018

Despachante é investigado por lesar clientes em João Monlevade

Reprodução
Rubens afirma que não houve má fé e que vai ressarcir todos

"Errei e fui vítima de uma crise financeira, mas estou lutando para ressarcir todos", afirma o profissional

De acordo com denúncias de diversos monlevadenses, em contato com o jornal A Notícia e através de redes sociais, o despachante Rubens José Vieira teria lesado proprietários de veículos na cidade, que lhe procuraram para a prestação de serviços de despachante de documentos.
De acordo com as informações, nove boletins de ocorrência foram registrados contra o despachante, que motivaram a abertura dos inquéritos pela Polícia Civil de João Monlevade. Porém, um número maior de pessoas que se disseram lesadas entraram em contato com a redação do jornal e se manifestaram pelas redes sociais.
Ainda segundo as informações apuradas, após os registros das ocorrências foram instaurados os inquéritos de estelionato. Em seguida, as vítimas foram intimadas, prestaram depoimentos e reuniram documentos que comprovassem as denúncias. O despachante foi intimado e prestou depoimentos em todos os inquéritos. "Foram instaurados nove inquéritos em face das denúncias contra o despachante, todos relatados e enviados para a Justiça", afirmou o delegado Hamilton Reis Carvalho.
As queixas contra Rubens foram praticamente as mesmas. De acordo com os denunciantes, o despachante era contratado para prestar seus serviços através de pagamentos à vista, porém, o tempo passava e ele não dava notícias, ultrapassando os prazos combinados e estabelecidos para efetuar os serviços. "Diante da demora, os clientes o procuravam e recebiam diversas desculpas, descobrindo, tempo depois, que ele havia gasto o dinheiro e não havia prestado o serviço. Diante da situação, nós éramos obrigados a procurar outro profissional e pagar novamente pelo serviço. Um absurdo. Um golpe contra trabalhadores que se esforçam para pagar seus tributos e andar de acordo com a lei", desabafou uma das clientes que se diz lesada e que preferiu não se identificar.

Erro assumido

A reportagem do A Notícia ouviu o despachante Rubens Vieira na tarde de ontem (4). De acordo com seu relato, ele foi vítima de uma crise financeira, proveniente de prejuízos que teve com a compra de um imóvel e com problemas com ex-funcionários, em seu antigo escritório.
Rubens não negou que possui débitos com os ex-clientes e afirmou que está tentando resolver o problema de todas as formas e ressarcir todos os que se dizem lesados. Ele também afirmou que já começou os acertos com alguns dos clientes. "Estou lutando para me levantar, resolver a situação e ressarcir os prejuízos. Já fiz acordos e alguns eu já paguei. Outros terão que esperar mais um pouco e ter paciência, mas não está faltando empenho de minha parte e vontade de resolver. Eu caí mesmo e são raros os que nos ajudam nesse momento tão difícil. É uma situação muito difícil, chata, eu sou muito conhecido na cidade e nunca passei por isso. Assumo que errei", desabafou Rubens.
O despachante também informou que está prestes a resolver uma pendência relativa a um imóvel que lhe pode render um ressarcimento e, assim sendo, ele resolveria toda a questão, acabando com os problemas. Ele também afirmou que os valores devidos, individualmente, não são muito grandes, e que o total de sua dívida com os clientes não chega aos R$7 mil. "Pretendo acertar com todos o quanto antes. Não agi de má fé e quero resolver tudo", disse.