Geral
11 de maio de 2018

Vereador questiona futuro "depósito de pneus velhos" na Amepi

Divulgação
Pneus seriam depositados em imóvel na área da Amepi

O vereador Belmar Diniz (PT) utilizou a tribuna da Câmara Municipal na última quarta-feira (9) para denunciar uma iniciativa da Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Piracicaba (Amepi) que, segundo ele, é prejudicial ao meio ambiente. De acordo com o parlamentar, a direção da entidade pretende utilizar uma área verde de sua propriedade para depositar pneus velhos da administração municipal.
Ainda segundo Belmar, a Amepi encerrou, recentemente, o contrato de prestação de serviços de reciclagem de materiais de borracha inservíveis com a empresa Ecomon, no bairro Campos Elísios, que realizava o trabalho há mais dez anos para vários municípios da região através da Associação. "Com o encerramento do contrato, a nova direção da Amepi está apresentando um edital que será de conhecimento apenas da empresa vencedora. O pior é que a entidade pretende criar, em sua própria área, um ecoponto, que será utilizado para estocar os pneus. Para mim, a nova presidência da Amepi está perdida e irá tomar uma atitude irresponsável, pois, para essa prestação de serviços, são necessárias licenças de transporte, estoque, ambiental e é preciso respeitar diversas normas ambientais. Se já existem empresas que prestam um bom serviço nessa área, porque a Amepi quer assumir essa responsabilidade e fazer de um núcleo ambiental um ponto de descarte? A Câmara e a cidade precisam de explicações sobre esse assunto", afirmou Belmar.
À reportagem do A Notícia, o presidente da Câmara de João Monlevade, Djalma Bastos (PSD), afirmou que a Amepi irá adequar e utilizar um imóvel situado dentro de sua área, no bairro Aclimação, para receber e armazenar os pneus. O local, segundo o vereador, é uma antiga oficina de máquinas e está desativado. Djalma, que é defensor das causas ambientais, também afirmou que um novo processo licitatório será feito, respeitando as normas ambientais vigentes. A Notícia também questionou o presidente da Amepi, Leres Braga, que não respondeu às mensagens enviadas.