Geral
13 de abril de 2018

Para Conselho de Saúde, aprovação de reestruturação da Visa só com nova sede

Luiz Ernesto
Plano de reestruturação da Visa voltou a ser discutido por Conselho

De acordo com o Conselho Municipal de Saúde de João Monlevade, o plano de reestruturação da Vigilância em Saúde (Visa) só será aprovado pela entidade se o setor mudar de sede ou se adequar estruturalmente. A decisão foi tomada durante reunião realizada na última terça-feira (10), na Câmara Municipal.
No plano de reestruturação da Visa, que apresenta investimentos de quase R$160 mil, estão a criação e estruturação do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), o desenvolvimento do Setor de Estratégia em Combate à Endemias e o fortalecimento das ações e melhoria da infraestrutura da Vigilância em Saúde. No documento constam ainda a compra de equipamentos de informática, mobiliário, materiais e instrumentos diversos, entre outros itens.
O plano foi novamente detalhado ao Conselho pelo coordenadora da Visa, a veterinária Kátia Guimarães. De acordo com Kátia, o prazo para a execução do plano foi prorrogado pela Gerência Regional de Saúde (GRS) em 60 dias. Segundo a coordenadora, o recurso ainda não está disponível para a Visa.
Para os membros do Conselho, não há como aprovar o plano sem a certeza de que a Visa irá se estruturar fisicamente para receber todos os novos equipamentos e mobiliário. "Antes de aprovar esse plano, tem que melhorar a estrutura física da Visa. Onde vão colocar todos esses equipamentos e mobiliários? Tem de haver uma reforma estrutural na Visa ou ela deve ir para outro local. A parte de baixo do prédio da Secretaria de Saúde, onde era o PA, no Belmonte, está fechada, abandonada, por exemplo", destacou a conselheira Jalva Ribeiro.
Já a conselheira Virgínia Lima alertou sobre a responsabilidade com os recursos públicos destinados à estruturação do setor. "Temos que analisar esse assunto com muito cuidado, pois é muito sério o improviso com o dinheiro público. Temos vários exemplos disso no passado, como o antigo Hospital Santa Madalena, que consumiu milhões, a Cozinha Comunitária, com investimentos de mais de R$300 mil, matadouro municipal e outros casos", disse.
A coordenadora da Visa ficou de apresentar outra proposta e plano de reestruturação do setor, levando as sugestões e o posicionamento do Conselho à administração municipal.

Controle de Zoonoses

Durante a reunião, a construção de um Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e a reestruturação do Canil Municipal foram debatidas e a conselheira e servidora da Visa, Lucimara Guerra, falou sobre o assunto. De acordo com Lucimara, que foi coordenadora da Visa, não é tarefa simples a implantação de um CCZ na cidade. "É bom salientar que não é tarefa tão simples implantar um CCZ, é muito mais complexo do que muitos estão pensando. Para se ter uma ideia, os mais próximos de nós são nas cidades de Belo Horizonte e Ipatinga. Tem que ter um projeto bem elaborado, liberação de funcionamento das autoridades responsáveis, documentação exigida por legislação e sua instalação não é nada barata. Temos que salientar que é preciso uma equipe estruturada e multidisciplinar. Será que esse governo terá condições para isso, sendo que não há nem médicos suficientes nos postos de saúde? Reforço que, para mim, pessoalmente, seria uma grande alegria a implantação do CCZ, seria maravilhoso. Mas reitero que não é fácil como parece ser", destacou Lucimara.