Você está em Notícia / GERAL /
Geral
13 de abril de 2018
Repasses ao Hospital Margarida - Provedor do hospital afirma que Conselho faz "palanque" e não há irregularidades
Luiz Ernesto
Reunião do Conselho Municipal de Saúde foi realizada no plenarinho da Câmara
A reunião do Conselho Municipal de Saúde de João Monlevade realizada na tarde da última terça-feira (10), na Câmara Municipal, foi marcada pela leitura de uma "carta-resposta", através de um ofício, da Associação São Vicente de Paulo (ASVP), mantenedora do Hospital Margarida, sobre os possíveis repasses irregulares feitos à casa de saúde pela Prefeitura, através de um CNPJ extinto.
Na resposta, assinada pelo provedor do Hospital Margarida e presidente da ASVP, José Roberto Fernandes, a Associação alega que não foi convidada a dar explicações sobre o caso e que ficou sabendo das denúncias e das reuniões sobre o assunto através da imprensa e das redes sociais. No texto, o provedor criticou duramente o Conselho Municipal de Saúde e os autores das denúncias, o advogado Fernando Garcia e o jornalista Chico Franco, afirmando que foi feito um "palanque" para defender interesses pessoais e denegrir a imagem do Hospital e da Associação São Vicente de Paulo. Ainda na resposta, a ASVP reforça a questão do erro material na utilização do CNPJ extinto e reafirma que não houve irregularidades, e que aguarda o arquivamento das denúncias.
Em resposta à carta, a conselheira de saúde Jalva Ribeiro criticou as afirmações do provedor e alegou que o Hospital Margarida tem cadeira permanente no Conselho, não precisando de um convite separado ou especial para participar dos encontros da entidade. "Mais uma vez, uma resposta desaforada do provedor ao Conselho Municipal de Saúde. Mais uma vez, desmerecendo o Conselho. E reafirmo que o Hospital Margarida não precisa de convite especial para as reuniões, ele tem cadeira permanente e membro no Conselho, sendo assim, está ciente de tudo", afirmou.
O jornalista Chico Franco, presente à reunião como convidado, foi duro ao usar a palavra em resposta à carta da ASVP e taxativo ao chamar o provedor do hospital de mentiroso. "Ele diz que não houve lançamentos no CNPJ baixado, mas houve. Só em 2017 foram R$5 milhões. Temos provas disso. Foi comprovado que houve. Ele tem que explicar tudo isso. É um mentiroso", desabafou Chico.
LEIA TAMBÉM
 
Publicidade
Publicidade
31 3851-1791
Av. Rodrigues Alves, nº 78, República
João Monlevade/MG
NOTÍCIAS
OPINIÃO
OPINIÃO
SOCIAIS