Geral
12 de março de 2018

DAE aciona justiça contra a Cemig

Arquivo JAN

O Departamento de Àguas e Esgotos de João Monlevade informa que vai acionar a Justiça contra a Cemig. De acordo com a autarquia, a energia elétrica vem sendo interrompida com muita frequência e há demora para restabelecimento da energia elétrica na Estação de Tratamento de Água (ETA), na localidade de Pacas.
Devido a isso, o abastecimento de água em João Monlevade tem sido prejudicado. Diversos bairros da cidade ficaram sem água por até três dias, no último fim de semana, o que deixou a população irritada e manifestando sua contrariedade nas redes sociais.
Indignado com a situação e com a falta de responsabilidade da Cemig, o diretor do DAE, Cléres Roberto de Souza, procurou a Polícia Militar e registrou Boletim de Ocorrências contra a empresa. Segundo Cléres, por várias vezes, a Cemig tem demonstrado má vontade com relação ao DAE. Um dos maiores clientes da empresa no município, as contas de energia elétrica do DAE custam cerca de R$700 mil por mês. “O DAE está tomando medidas judiciais cabíveis contra a Cemig, para que a população não continue sendo prejudicada, como está acontecendo”, diz nota do DAE.
O texto ainda fala que a Cemig não tem responsabilidade com o município. “O maior exemplo da falta de responsabilidade da Cemig para com o Município ocorreu na última quarta-feira, (7), com o longo período de falta de energia elétrica na cidade e na ETA, onde faltou energia das 19h até às 9h30 de quinta-feira, (8). E a energia elétrica voltou a ser interrompida pela Cemig, na ETA, às 19h de quinta-feira, e não foi restabelecida até a manhã de sexta-feira (9), mais uma vez prejudicando o fornecimento de água para a população”, diz o DAE em nota.