Geral
9 de março de 2018

João Monlevade registrou 113 mortes por infarto em 2017

Arquivo JAN
Avenida Castelo Branco é utilizada para a prática de caminhada, que previne doenças

Média é de quase dez óbitos por mês na cidade e número é considerado alto

De acordo com informações levadas à tribuna da Câmara Municipal pelo vereador Belmar Diniz (PT), dias atrás, em 2017 João Monlevade registrou 113 mortes por infartos, uma média de quase 10 óbitos por mês. Ainda segundo dados levantados pelo parlamentar, em 2018, nos dois primeiros meses do ano, já foram contabilizadas 12 mortes.
De acordo com médicos e profissionais de saúde, ouvidos pelo parlamentar, o número é alto e alarmante. "Os números assustam. 33% das mortes em nossa cidade são por problemas cardiovasculares. Só somando todos os acidentes, homicídios, mortes por câncer e por AIDS, consegue-se empatar com as mortes por doenças cardiovasculares. Temos que debater o assunto e buscar formas e campanhas para mudarmos esse cenário. Mudar o estilo de vida com o apoio e incentivo do poder público seria um ótimo início", afirmou Belmar.
O médico monlevadense Christian Hans Westgeest, que realiza intensas campanhas nas redes sociais sobre o assunto, com palestras, dicas, informações sobre os problemas cardiovasculares e trabalha o incentivo à prática de hábitos saudáveis e cuidados, reforça a fala do parlamentar e orienta sobre o tema. Ele também enfatiza que o número é alto. "A prevenção ao infarto não é difícil de ser realizada. Existem alguns pilares a seguir, como: evitar o cigarro, praticar atividades físicas regulares e com acompanhamento médico, controlar os níveis de colesterol e triglicérides, combater o diabetes e a pressão alta, manter uma alimentação rica em frutas, verduras, legumes e carnes magras e a realização regular de testes ergométricos", destaca Christian.
O médico também alerta para a atenção primária básica, com os postos de saúde funcionando com consultas cardiológicas regulares, mesmo com um clínico geral.

OMS


De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), no Brasil, 300 mil pessoas sofrem infartos todos os anos, sendo que em 30% dos casos o ataque cardíaco é fatal. No planeta, a OMS informa que cerca de 18 milhões de pessoas morrem todos os anos vítimas de doenças cardiovasculares, o que torna o problema a principal causa de morte no mundo. A OMS definiu o dia 29 de setembro como Dia Mundial do Coração, para alertar as pessoas sobre os cuidados com o órgão.

Campanhas


O vereador também salientou a importância de campanhas educativas e de conscientização mais regulares, por parte do poder público. "Acredito que poderíamos ter mais campanhas incentivando a prática de atividades físicas. Inclusive, incentivando atividades ao ar livre, caminhadas regulares, corridas de fim de semana etc. Acredito que os postos de saúde também poderiam trabalhar melhor a prevenção, através de grupos de hipertensos, diabéticos, em associações comunitárias, sindicatos e outros locais", enfatizou Belmar.