Você está em Notícia / GERAL /
Geral
13 de outubro de 2017
Conhecendo um pouco mais de Guéret, o berço de Jean de Monlevade
Reprodução
A Notícia apresenta o décimo texto da série de reportagens sobre o francês pioneiro, Jean Antoine Felix Dissandes de Monlevade, que há 200 anos chegou ao Brasil. Ele é um dos últimos desbravadores europeus do século XIX que, com visão empreendedora, mudou os rumos da história e transformou um lugar ermo, no berço da siderurgia brasileira.

Por Afonso Torres – Escritor

A bagagem cultural de Jean Antoine Felix Dissandes de Monlevade não se compõe somente do ensino adquirido nas escolas de Paris. Como todos nós, ele recebeu influências do meio em que nasceu e cresceu. A história do lugar, o cotidiano do ambiente, com certeza, interferiram em sua formação e personalidade. Por isso, tentar desvendar um pouco da história da região de Guéret é, também, conhecer um pouco mais deste francês que se permitiu a influência do nosso jeito mineiro de ser.

Origens

O castelo de Monlevade, onde nasceu Jean Antoine, ficava em Guéret, no coração da França, que compunha uma comuna francesa na região administrativa de Limousin, no departamento de Creuse, antes condado de La Marche ou simplesmente Marche. Atualmente, corresponde aproximadamente ao Departamento de Creuse na Nova Aquitania, que é uma região administrativa localizada a sudoeste da França.
A atual região foi criada pela reforma territorial francesa de 2014, através da fusão de três regiões: Aquitaine, Limousin e Poitou-Charentes, tornando-se a maior região em abrangência territorial, com 1/8 do país. O nome “Aquitania” foi dado por Júlio César o primeiro a escrever sobre a “Aquitanii” durante a Guerra Gaulesa. É uma região de grande carga histórica e que permite aos visitantes conhecer as cavernas de Lascaux, que fazem parte da Unesco e do Pierrefitte Menhir, que revela fragmentos da civilização pré-histórica no coração da Dordogne, também conhecida como o “Vale da Humanidade”. A ocupação humana da região data de 5500 a.c., especialmente pelos homens de Neanderthal, e foi confirmada pela descoberta, em 1908, da sepultura de um homem junto a La Chapelle-aux-Saints.

Evolução

Na Idade de Ferro, uma tribo celta, os Lemovices, fortificaram uma dezena de cidades. Villejoubert, situada próximo de Saint-Léonard-de-Noblat, era a mais importante delas. O artesanato local se desenvolveu especialmente na fabricação de cerâmica grafitada.
O período que vai de 50 a.c. a 200 d.c., foi uma época de grande prosperidade dos povos galo-romanos. Nessa ocasião foi fundada a cidade de Augustórico, a futura Limoges.
No século IV, teve início a evangelização dos povos da região. A ocupação visigoda acelerou este processo. Durante as campanhas visigodas de 994 ocorreu uma catastrófica e mortal intoxicação, que quase dizimou a população local: o Mal de Ardentes.
No século X, a região de Limousin foi repartida entre os grandes chefes locais. Os Viscondes de Limoges aboca-nharam a Haute-Vienne, os de Turenne se apossaram de Corrèze, e o Conde de La Marche usurpou Creuse, transformando-a em um feudo. O Duque da Aquitania, Guilherme III o deu a um de seus vassalos, de nome Boso, que tomou o nome de conde.
No século XII, Leonor da Aquitania casou se com Henrique II, Rei da Inglaterra. Assim como a Aquitania, a região de Limousin passou para o domínio inglês. Os senhores de Limousin que eram contra os Plantagenetas, tentaram conduzir o rei francês a uma luta contra o rei da Inglaterra. Em 1119, Ricardo Coração de Leão, filho de Leonor da Aquitania, foi morto em combate. O condado passou para as mãos da família Lousignan. Com a morte do Conde Guy, em 1308, as suas posses em La Manche foram compradas por Felipe IV, o Rei de Ferro de França. Em 1316 o rei entregou o feudo a seu filho o Príncipe, mais tarde, Carlos IV de França. Vários anos depois, em 1327, La Marche passou para as mãos dos Bourbons. Entre 1337 e 1453, a região foi devastada pela Guerra dos Cem Anos. A família de Armagnac possui a província de 1435 a 1477, revertendo novamente para a Casa dos Bourbons. No final do século XVI, as Guerras da Religião, mais uma vez, devastaram a província.

Lutas

Em 1527, foi tomada por Francisco I de França e tornou- se parte dos domínios da Coroa Francesa novamente, sendo dividida em Alta e Baixa Marche até o século XVII. DE 1470 até a Revolução Francesa, a província esteve sob a jurisdição do parlamento de Paris.
Sob influência de Colbert, em 1665, foram criadas as manufaturas reais de tapeçarias em Aubusson em 1685 em Felletin e em 1690 em Tulle. A atividade industrial se desenvolveu, também, por toda a Haute-Vienne. No século XVIII muitos intendentes se sucederam no comando da região: D’Orsay comandou entre os anos de 1710 e 1730, Tourny de 1730 e 1743 e Turgot de 1761 a 1774. Esse século foi de grande prosperidade para a região, especialmente pela descoberta do caulim em Saint Yrieix, o que proporcionou o surgimento da primeira manufatura de porcelana de Limoges, no ano de 1771. Creuse é um dos 83 originais departamentos criados durante a Revolução em 4 de março de 1790. Foi este ambiente o berço em que nasceu, a 14 de abril de 1789, o nosso pioneiro.
LEIA TAMBÉM
 
Publicidade
Publicidade
31 3851-1791
Av. Rodrigues Alves, nº 78, República
João Monlevade/MG
NOTÍCIAS
OPINIÃO
OPINIÃO
SOCIAIS