Desde 1984
Geral
13 de janeiro de 2020
Simone promete pesquisa para definir “ponto da discórdia”
Arquivo JAN
Parada de ônibus já foi alvo de protestos, briga judicial, abaixo-assinado, desabafo e várias promessas. .
Após anunciar mudança de local, prefeita diz que vai ouvir população

A novela do “ponto da discórdia” ganhou mais um capítulo nesta segunda-feira (13). Em entrevista com o assessor de comunicação da Prefeitura, Will Jony Gomes Nogueira, o radialista e ex-prefeito Carlos Moreira anunciou que a prefeita Simone Carvalho (PSDB), sua esposa, fará uma pesquisa junto à população para decidir se o ponto de ônibus será deslocado. “Ela disse que não ia me ouvir, que não ia ouvir a assessoria, que não ia ouvir vereador ou imprensa. Ela disse que vai ouvir o povo”, afirmou o ex-prefeito.

Na entrevista, Moreira reafirmou que “não serão enquetes, opinião de vereadores nem pressão de jornais” que irão demarcar onde o ponto será instalado. Porém, em outubro do ano passado, a prefeita afirmou ao A Notícia que mudaria o ponto de lugar. Um pequena reforma ampliando a cobertura e o banco chegou a ser feita no ponto de ônibus seguinte, próximo à rua Hidelbrando Santana. No entanto, a mudança não ocorreu e recebeu críticas de vereadores e de usuários.

Briga

A polêmica sobre o ponto de ônibus da avenida Wilson Alvarenga começou ainda em 2017, quando a praça Domingos Silvério foi reformada e a parada foi deslocada cerca de 120 metros, para o lado oposto ao posto Barrocar, em frente a duas lojas, que ficaram com a visão obstruída. Os donos do imóvel e os comerciantes das lojas reclamaram de queda nas vendas e muita sujeira na porta. Em março daquele ano, Simone havia prometido voltar com o ponto de ônibus para a praça, o que nunca aconteceu.

Nesses dois anos, a administração alternou discursos que o ponto seria provisório e definitivo. O então proprietário do imóvel, João Nepomuceno de Oliveira, ingressou na Justiça exigindo a remoção da parada de ônibus da frente do seu prédio. Um abaixo-assinado chegou a ser feito na internet pedindo o mesmo. Vereadores entraram na briga, e uma faixa foi estendida da fachada das lojas. Uma joalheria, que funcionava em um dos dois pontos comerciais, deixou o local. João Nepomuceno morreu em abril de 2019, e sua filha publicou nas redes sociais um desabafo falando sobre a amargura e o desgosto que a obra causou ao pai.