Desde 1984
Geral
9 de agosto de 2019
Contratação de médico vai parar na Justiça
Médicos e provedor do HM se acusam por contratação de urologista

Mais uma vez, um caso envolvendo o médico Getúlio Garcia e o provedor do Hospital Margarida, José Roberto Fernandes, vai parar na Justiça. Desta vez, Getúlio e o colega Jamilton Dias, ambos urologistas, conseguiram na Justiça um mandado de segurança contra a decisão de José Roberto de contratar mais um médico para a especialidade. Ao A Notícia, Getúlio Garcia explicou que a escolha de médicos não pode ser feita pelo provedor, mas somente pelo corpo clínico do Hospital. Com essa contratação, o Margarida passaria a contar com quatro urologistas, um a mais em relação aos três atuais. Inclusive, para escala de sobreaviso. Porém, segundo o médico, os três são suficientes para atender à demanda de Monlevade e região. De acordo com Getúlio, o provedor está entrando em assunto que não é de sua competência.
Em nota enviada à imprensa, porém, José Roberto Fernandes afirmou que a 179 pacientes esperando por uma cirurgia urológica, e que a contratação de mais um médico diminuiria esta fila. Ele disse ainda que o profissional contratado após avaliação do currículo é altamente qualificado e experiente, reside em João Monlevade e está disposto a atender pelo SUS, o que, segundo ele, é muito difícil em uma cidade do interior. Na opinião do provedor, Getúlio e Jamilton estariam “deixando prevalecer questões pessoais em detrimento de um melhor e mais célere atendimento à população”, o que poderia configurar quebra do código de ética médica, que proíbe objeções a colegas que não sejam de ordem estritamente técnico-científica ou ética. O Hospital informa ainda que vai recorrer da decisão.