Desde 1984
Policia
9 de agosto de 2019
Monlevade tem primeiro júri por feminicídio
Reprodução
João Monlevade terá o seu primeiro julgamento por um caso de feminicídio. O júri começa às 9 horas de segunda-feira (12), e os trabalhos serão conduzidos pelo juiz substituto da comarca de João Monlevade, Wellington Reis Braz. O caso corre em segredo de Justiça, mas A Notícia apurou que o crime ocorreu em 2018 e que o réu é Ronaldo Júnior de Coura Ramos e a vitima é Luciene Albertina Moreira Fortes.
O promotor Rodrigo Fragas falou sobre o julgamento na coletiva de imprensa sobre o dono de um pré-vestibular acusado de conduta sexual imprópria: “Estamos comemorando treze anos da lei Maria da Penha, mas não sei se é o caso de comemorar. Ainda existe muita violência contra a mulher; física, sexual, psicológica, financeira...”. A lei Maria da Penha entrou em vigor em 7 de agosto de 2006. A proposta da Lei é combater crimes como violência doméstica, agressão física e estupro cometidos contra as mulheres.
Nesta quarta-feira (7), no dia do aniversário da Lei, o Senado também aprovou duas medidas para combater a violência contra a mulher no país. Entre as propostas está a modificação na lei para permitir, como medida protetiva a vítimas de violência doméstica, a apreensão imediata de arma de fogo em posse do agressor. A matéria segue para sanção presidencial. Pelo texto, assim que houver o registro de ocorrência de violência doméstica, a autoridade policial deve verificar se o agressor possui registro de porte ou posse de arma de fogo. Nessa hipótese, deve notificar à instituição responsável pela concessão do registro ou da emissão do porte.