Desde 1984
Região
16 de julho de 2019
Outro vereador é procurado por “rachadinha” em Itabira
Reprodução/Via Comercial
Agnaldo Enfermeiro (PRTB) é o segundo vereador preso por envolvimento em esquema.
O vereador Agnaldo Gomes Vieira, o Agnaldo Enfermeiro (PRTB), pode ser preso a qualquer momento por ordem judicial. A juíza da comarca de Itabira, Dayane Rey da Silva, decretou a prisão de Agnaldo por envolvimento num esquema de “rachadinha”, como é conhecida a devolução de parte dos salários dos funcionários parlamentares. Agnaldo está no primeiro mandato, e é presidente da Comissão de Saúde, Saneamento Básico e Meio Ambiente. Nas últimas semanas, ele tem apresentado vários atestados médicos para se ausentar das reuniões ordinárias do Legislativo itabirano. Até o momento, o vereador não foi localizado, e está sendo procurado pela polícia.
Outros envolvidos.

O também vereador Weverton Limões “Nenzinho” (PMN), e o diretor-geral da Câmara de Itabira, Ailton Francisco de Morais, foram indicados por suspeita de praticarem a “rachadinha”. No último dia 2, os dois haviam sido presos por suspeita de participação em um esquema de devolução de salários de funcionários do gabinete. A mulher de Ailton, Marilane Cristina Costa Silva, também foi indiciada. Ela havia trabalhado na Câmara Municipal, mas com a nomeação de Ailton para a diretoria-geral da Casa, foi exonerada para não caracterizar nepotismo. A “rachadinha” seria uma “compensação” pela exoneração. No caso destes, segundo o delegado regional Helton Dias, os desvios podem chegar a R$200 mil. Nenzinho e Ailton permanecem detidos na delegacia da cidade. O presidente da Câmara Municipal, Heraldo Noronha (PTB), disser que os suplentes de Nenzinho e Agnaldo não serão chamados imediatamente, mas quando os processos legais de cassação forem cumpridos.

(Com informações do Notícias Uai, do Fatos de Minas e do Itabira Online)