Desde 1984
Geral
14 de junho de 2019
Espectro autista: o diagnóstico precoce é fundamental, alerta neuropediatra
A neuropediatra Maria Amin de Oliveira, de Belo Horizonte, palestrou sobe o Espectro Autista e alertou sobre a importância do diagnóstico precoce. “Quanto antes essa criança for diagnosticada, melhor será o resultado do tratamento. A maioria dos diagnósticos vem próximo aos dois anos, quando a criança entra na escola ou se difere entre as outras, principalmente na forma de se comunicar e interagir”, disse.
Os principais sinais de alerta são relacionados ao comportamento da criança. “Os pais devem ficar atentos ao contato visual das crianças, se elas têm interesse a coisas diversas, se atendem a comandos ou fazem imitações e como elas se comunicam de maneira verbal e não verbal. Com isso já podemos avaliar os primeiros sinais do Espectro”, afirmou, completando que a maioria das formas de autismo está presente desde o nascimento, embora os sintomas possam não ser imediatamente óbvios.
Amin ainda falou sobre os principais questionários de rastreamento precoce, que são utilizados por pediatras. “São perguntas simples, que podem analisar o comportamento dos bebês, a partir dos quatro meses e já alertar o pediatra dessa criança. Se nessa idade for iniciado o tratamento, as chances dessa criança, com o espectro moderado ou leve, ter um desenvolvimento totalmente normal são enormes", afirmou a médica.
Ela alertou também sobre o aumento dos diagnósticos de autismo e como isso está relacionado com a grande exposição das crianças pequenas às telas e a pouca interação social. “Hoje as crianças têm acesso a celulares e tablets muito novinhas. Elas se encantam com as luzes e a música, e não querem saber de outra coisa. Isso é extremamente prejudicial, principalmente para menores de dois anos, que precisam de contato com outras pessoas para se desenvolverem. O celular isola a criança a um mundo só dela e isso vai dificultar o seu desenvolvimento social”, disse.