Geral
11 de junho de 2019

CDL otimista com vendas para o Dia dos Namorados

Reprodução
Consumidores têm várias opções para data mais romântica do ano

A Câmara de Dirigentes Lojistas de João Monlevade (CDL) espera aumento na vendas para a data mais romântica do ano, celebrada nesta quarta-feira (12). Os comerciantes estão otimistas em relação aos anos anteriores, conforme opinião do vice-presidente da entidade, Luís Valente. “Temos expectativas boas para Dia dos Namorados. Esperamos superar em muito ano passado e com um crescimento de 5% referentes a 2017 . Em 2018, a greve dos caminhoneiro prejudicou todo ano”, avaliou.

De acordo com Valente, todo o comércio está com preços convidativos, condições de pagamento facilitadas e mercadorias de qualidade. Ele diz, no entanto, que apesar do variado leque de opções, as campeãs de vendas para a data costumam ser roupas, sapatos, artigos de floriculturas e bombons. Para a data, o comércio de João Monlevade funciona até às 19h até quarta-feira (12).

Levantamento feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) em todas as capitais mostra que seis em cada dez consumidores (63%) esperam presentear alguém na data, o que representa aproximadamente 98,7 milhões de pessoas — número que se mantém estável na comparação com o ano passado. Os dados também mostram que em 2018, 57% adquiriram presentes. Para este ano, a expectativa é de que sejam injetados cerca de 12,53 bilhões de reais na economia.

Ainda segundo a pesquisa, em média, o consumidor planeja desembolsar R$ 126,98 com os presentes do Dia dos Namorados. Na pesquisa, 15% ainda não decidiram o valor que será gasto. Para um terço (34%) dos entrevistados, a intenção é gastar a mesma quantia do ano passado, cerca de R$150,00 enquanto 28% pretende gastar mais. Outros 17% esperam diminuir o valor gasto, principalmente, as mulheres (26%). Quanto à forma de pagamento, 59% disseram que pretendem pagar a compra à vista, especialmente em dinheiro (38%) e 39% preferem parcelar.