Desde 1984
Geral
26 de maio de 2019
Manifestantes fazem ato a favor de Bolsonaro em Monlevade
João Vítor Simão
Cerca de setenta manifestantes apoiaram medidas do presidente Jair Bolsonaro.
João Monlevade juntou-se na manhã deste domingo (26) à onda de manifestações a favor do presidente Jair Bolsonaro e do seu governo . A partir das 10h30, cerca de setenta pessoas se reuniram na Praça do Lindinho, muitas trajadas com as cores da Bandeira Nacional. Entre as pautas, estavam a aprovação da Reforma da Previdência conforme apresentada pelo governo; o pacote anticrime proposto pelo ministro Sérgio Moro, que endurece as penas contra a corrupção; a chamada "Lava Toga", que investiga casos de corrupção cometidos por ministros do Supremo Tribunal Federal e membros do Poder Judiciário; e a Medida Provisória 870, que enxuga o número de ministérios.

Eles também criticaram os governos esquerdistas do Partido dos Trabalhadores, a atuação do Supremo Tribunal Federal e o grupo de parlamentares conhecido como "centrão", que domina o Congresso Nacional e emperra a aprovação das medidas de Bolsonaro. "Ninguém aqui recebeu pão com mortadela. Aqui não há CUT nem sindicato", disse um dos manifestantes, "a nossa bandeira é verde e amarela, e não será vermelha". Eles agitavam bandeiras do Brasil, o Hino Nacional foi reproduzido várias vezes e o Pai-Nosso foi orado.

O protesto foi uma iniciativa do núcleo de João Monlevade do grupo Direita Minas, nascido em 2016 em Belo Horizonte e que organizou protestos em mais de trinta municípios mineiros. O movimento não é um partido político, e atua principalmente na luta intelectual. De acordo com uma das coordenadoras, que preferiu não se identificar por medo de represálias de esquerdistas, a Direita Minas pretende lançar em João Monlevade um grupo de estudos de autores ligados ao conservadorismo.

Por todo o Brasil e também em cidades do exterior, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro se reuniram para manifestar apoio às medidas de seu governo. Em Itabira, o núcleo local do grupo Direita Minas faz um ato semelhante na Praça do Acrísio. Em Belo Horizonte, a praça da Liberdade foi tomada de verde e amarelo. Em São Paulo, a manifestação ocorre na Avenida Paulista, enquanto que no Rio de Janeiro a reunião foi na praia de Copacabana.