Esporte
23 de maio de 2019

Paralisação de transporte de carga aumenta fluxo de caminhões

Como medida preventiva, diante da possibilidade de rompimento da Barragem Sul Superior da Mina de Gongo Soco, a Vale paralisou o transporte de carga no ramal de Belo Horizonte, entre Sabará e Barão de Cocais, que é atendido pela Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM). A empresa está avaliando alternativas para minimizar os impactos decorrentes dessa paralisação. A suspensão vai aumentar o fluxo de caminhões nas rodovias mineiras, principalmente, na BR-381.
A Usiminas, com sede em Ipatinga (MG) irá usar caminhões para o abastecimento de minério e pelotas a partir desta quinta-feira (23). O escoamento da produção de aço também será feito por meio das rodovias que passam perto da usina. Outro problema que a Usiminas pode enfrentar em Ipatinga com o rompimento da barragem de Gongo Soco é com o abastecimento de água na usina. Isso porque a captação da água é realizada no rio Piracicaba, que está na rota dos rejeitos e pode ser contaminado.
Em nota, a Usiminas informou que vem acompanhando a situação envolvendo a barragem em Barão de Cocais "e está tomando medidas para garantir o funcionamento normal da Usina de Ipatinga, incluindo a utilização de rotas alternativas para a entrada de matérias-primas e saída de produtos acabados