Brasil e Mundo
13 de maio de 2019

Onça-pintada é capturada no Jardim Botânico em Juiz de Fora

G1 Minas

Comissão interinstitucional anunciou em perfis de rede social na noite de domingo (12). Animal já foi encaminhado para uma área de Mata Atlântica.

Por G1 Zona da Mata e MG1

A onça-pintada que estava desaparecida em Juiz de Fora (MG) foi capturada na noite de domingo (12), no Jardim Botânico. As buscas por ela duraram cerca de 20 dias, e captura foi anunciada nos perfis oficiais do local nas redes sociais.
De acordo com as informações iniciais divulgadas pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), o animal foi pego em uma armadilha de caixa instalada perto do prédio administrativo. Os detalhes serão divulgados em uma entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira (13).

Os especialistas realizaram exames, colocaram o colar para seguir o monitoramento e garantiram que o animal é um macho, está bem, em fase reprodutiva e já foi encaminhado para uma reserva de Mata Atlântica. O comitê não divulgou o destino por questão de segurança.

Próximos passos

Após a captura, o reitor da UFJF explicou os próximos passos para a reabertura do Jardim Botânico, que foi fechado desde 26 de abril por causa da presença da onça-pintada.

"Agora as equipes técnicas do Jardim Botânico vão trabalhar, tem que ser desmontado tudo que foi preparado aqui dentro para a captura do animal, as armadilhas. Em seguida, vai ser feita uma avaliação do estado do Jardim Botânico. Nós pretendemos o mais breve possível reabri-lo para visitação", disse Marcus David.

O primeiro registro da onça foi feito por um vigilante do Jardim Botânico, no dia 25 de abril. O local foi fechado para visitação no dia seguinte. Desde então, apenas a equipe especializada tinha acesso ao monitoramento e a captura. Durante os trabalhos, a onça-pintada foi vista em diversos locais da cidade. Confira abaixo:

Estacionamento de um hotel na madrugada de 26 de abril;

Estacionamento da Igreja Batista Estrela Resplandecente da Manhã (Ibrem) no dia 1º de maio;

Ponte da Mata do Krambeck, na noite de domingo (5);

Novamente no estacionamento Ibrem pelo vigia da Igreja Batista Estrela Resplandecente da Manhã, quando foi filmada pelo vigia volta das 20h de segunda-feira (6);

Às margens do Rio Paraibuna e em ruas do Bairro Industrial nesta terça (7);

Dois ataques ao galinheiro em uma casa no Bairro Parque das Torres no dia 8 de maio e também na madrugada do dia 9 de maio.
Após estas aparições, a onça foi avistada no sábado (11) e pegadas foram encontradas no domingo (12) em local não informado dentro do Jardim Botânico. Em seguida, ela foi capturada.

Captura

Nestes quase 20 dias à procura da onça foram instaladas quatro armadilhas de caixa em pontos interno e externo do Jardim Botânico entre quinta (9) e sexta (10). Mas somente no domingo ela foi capturada em um local de cerca de dois metros de profundidade.

O animal foi atraído até o fundo da caixa para pegar uma isca. Isso acionou um gatilho que soltou a porta de entrada, trancando o felino.

Além destas armadilhas, outras seis de laço foram espalhadas em trechos por onde o monitoramento indicou que o animal tem o costume de passar na área da Mata do Krambeck.

Uma comissão tinha sido organizada para fazer as buscas ao animal. Com acompanhamento e atuação técnica do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros (Cenap/ICMBio), a comissão era composta por sete instituições: Campo de Instruções do Exército Brasileiro em Juiz de Fora, Corpo de Bombeiros, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Instituto Estadual de Florestas (IEF/Cetas), Polícia Militar (incluindo a Polícia de Meio Ambiente), Prefeitura de Juiz de Fora e Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).