Desde 1984
Geral
12 de abril de 2019
Hoje, delegados debatem saúde em conferência municipal
Reprodução
A 14ª Conferência Municipal de Saúde de João Monlevade será hoje (12), de 7h às 17h, na sede da Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Piracicaba (Amepi), no bairro Aclimação. Neste ano, conforme a 16ª Conferência Nacional de Saúde, a ser realizada de 4 a 7 de agosto, em Brasília, o tema central é “Democracia e Saúde” e os eixos temáticos são: saúde como direito, consolidação dos princípios do SUS e financiamento do SUS.
A Conferência Municipal vai reunir delegados escolhidos nas pré-conferências municipais de saúde, que ocorreram de 25 de março a 4 de abril em todos os centros de saúde do município, além de conselheiros municipais de saúde, profissionais da área e demais interessados na temática. Os participantes têm o objetivo de analisar as prioridades locais de saúde, formular propostas e elaborar um relatório final da conferência.
Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a programação será de 7h às 11h, com credenciamento dos participantes, abertura do evento, leitura e aprovação do regimento da conferência, debates e palestras. De 13h às 17h, o evento continua com trabalhos em grupos, apresentação e votação de moções e de propostas para a saúde e eleição de delegados para a Conferência Estadual de Saúde.
Polêmicas e
reclamações

Durante as pré-conferências municipais de saúde, realizadas até a semana passada em várias unidades de saúde e em diversos bairros, os usuários apresentaram diversas reclamações e denúncias, que podem render polêmicas na conferência.
Um dos assuntos reclamados pelos usuários é a falta de transparência sobre o futuro da Policlínica Central, no bairro José Elói. O local será fechado para reformas, mas a Prefeitura ainda não informou onde os serviços serão alocados enquanto durarem as obras. Também não foi informado se os serviços da Policlínica voltam para o prédio ou se o posto será efetivamente transferido do bairro. Moradores e até padres da Paróquia Nossa Senhora da Conceição manifestaram dúvidas e questionaram o episódio.
Outras reclamações apresentadas nas reuniões prévias foram sobre a qualidade do atendimento prestado e a falta de informações no serviço complementar, setor responsável pelo “ônibus da saúde” que faz viagem diária para Belo Horizonte, levando pacientes para consultas médicas. De acordo com usuários, quem não conhece a capital fica desnorteado sem saber como fazer para se deslocar até os locais da consulta.
A marcação de consultas, através da agenda aberta, a distribuição de medicamentos centralizada, a burocratização na distribuição dos selos para exames e a falta de educadores físicos (para atividades físicas dos idosos) foram outros pontos levantados pelos usuários nos encontros prévios e que devem estar na pauta da Conferência Municipal de Saúde.