Policia
12 de abril de 2019

Festa no Nova Monlevade acaba em bala de borracha e spray de pimenta

Arquivo JAN

Uma festa foi interrompida pela Polícia Militar de João Monlevade na madrugada do último domingo (7). De acordo com os militares, o evento, que era realizado em uma residência da rua Dimas Rodrigues de Lima, no bairro Nova Monlevade, era regado a drogas e músicas pornográficas.
Segundo informações do Boletim de Ocorrências, a Polícia Militar foi acionada e, ao chegar ao local, se deparou com um homem comercializando entorpecentes. O indivíduo portava uma arma de fogo e fugiu com a chegada da viatura policial. Um menor de 16 anos foi abordado pelos militares e, embriagado, agrediu os policiais com socos e chutes, fazendo ameaças. Diante dos fatos, ele recebeu voz de apreensão em flagrante. Com as agressões, um dos policiais sofreu escoriações no braço e foi encaminhado ao Pronto Socorro do Hospital Margarida.
Ainda durante as abordagens, vários elementos que estavam na festa foram até à rua e tentaram agredir os militares, sendo assim, foi preciso que os policiais efetuassem disparos de munição de borracha e usassem spray de pimenta para dispersar o grupo, que estava bastante nervoso.
Ao efetuar buscas pela casa, a polícia encontrou uma sacola com 15 pedras de crack e duas buchas de maconha na cozinha. Ainda foram encontradas três munições calibre .380 e sacolas usadas para embalar drogas. De acordo com informações da polícia, um dos abordados na festa, de 40 anos, possuía um mandado de prisão em aberto. Ele foi preso e levado para a Delegacia de Polícia Civil. Um outro indivíduo foi preso por porte ilegal de arma de fogo, e os detidos e o menor apreendido foram levados para a Delegacia de Polícia Civil, juntamente com as drogas e materiais apreendidos.

Família nega e acusa PM de truculência

Parte da família que mora na residência visitou a redação do jornal A Notícia na manhã da última quarta-feira (10) alegando ter sido vítima de injustiça e de truculência por parte da Polícia Militar.
Eles ainda negaram que houvesse drogas e armas no local durante a festa e afirmaram que foram agredidos sem qualquer motivo pelos militares. Segundo as informações passadas pelos familiares dos detidos, não houve motivos para realizar as prisões e a apreensão do menor e os policiais efetuaram disparos no interior da residência, onde havia uma criança de apenas quatro meses, que ficou assustada com os barulhos dos disparos.
A família também afirmou que procurou o Ministério Público e formalizou uma denúncia sobre as agressões e a atitude da polícia. Eles também iriam procurar um advogado para tratar do assunto.