Geral
15 de março de 2019

“Assim como Minas Gerais, São Gonçalo não pode parar”

Vereador que antes comandava caminhões “fora de estrada”
em Brucutu, agora, chega para dirigir a Câmara Municipal

Por sete anos, até o ano de 2015, o vereador Flávio Silva de Oliveira, o Flavinho Terra Branca (PDT), dirigiu gigantescos caminhões fora de estada, nas muitas estradas da Mina de Brucutu, em São Gonçalo do Rio Abaixo. Mesmo tendo assumido como suplente a cadeira de vereador após as eleições de 2012, ele conciliava as funções, de funcionário da empresa Vale e de agente político na cidade. Porém, há quatro anos, ele pediu demissão da mineradora para se dedicar integralmente à política. Foi reeleito em 2016 e, agora, em 2019, ele assumiu a presidência do Legislativo de São Gonçalo, cargo que ocupa pelos próximos dois anos.
O novo presidente da Câmara opinou sobre a paralisação parcial da Vale no município e disse que espera o retorno na íntegra das atividades das minas da cidade o quanto antes. Conforme ele, todo o estado de Minas Gerais depende diretamente da mineração. “Assim como Minas Gerais, São Gonçalo não pode parar, mas a segurança dos cidadãos precisa ser valorizada”, afirmou o presidente. Ele falou dos sérios impactos econômicos no município com a paralisação parcial das atividades da Vale. “Tenho expectativas e sou otimista para que o retorno ocorra em breve”, afirmou.
O presidente assumiu o comando do Legislativo neste ano, depois de ocupar a vice-presidência no último biênio. Em sua gestão, ele disse que vai manter os bons projetos do Legislativo, como o Câmara nas Escolas, Câmara Mirim e Parlamento Jovem, com uma nova roupagem. Segundo Flavinho, o objetivo é aproximar crianças e jovens do Legislativo, focando em políticas para a juventude. “Os jovens e as crianças são o nosso futuro. Estamos de passagem. Em breve, eles estarão no comando e precisam ter consciência política”, afirmou. Ele também defende uma política de respeito com o Executivo, trabalhando com independência, mas em harmonia, para o bem do município. O presidente garante que a Câmara ficará aberta para atender os cidadãos e que não vai diminuir ou cortar serviços importantes, como o Cidadão Legal, Centro de Apoio ao Cidadão (CAC), Procon, entre outros que aproximam o povo da Câmara Municipal. Ele também espera mais participação popular nas reuniões dos vereadores e demais eventos no Legislativo. “A Casa está aberta e todos são bem-vindos”, destacou.