Policia
15 de março de 2019

Jovem é preso por apoiar massacre em escola de Suzano

Reprodução

Um jovem de 18 anos foi preso na cidade de Manhuaçu (MG) por apoiar o massacre de professores, alunos e funcionários da Escola Estadual Raul Brasil, na cidade de Suzano, interior de São Paulo, nesta semana. O crime bárbaro chocou o país, depois que dois atiradores invadiram a escola e mataram oito pessoas. Em seguida, um deles atirou no comparsa e se matou.
O crime foi descoberto após o suspeito postar em seu perfil do Facebook, na noite desta quarta-feira (13), que não deveria haver luto pelas mortes em Suzano e que ele queria fazer o mesmo na Escola Estadual Ana Mendes, que fica no distrito de São Pedro do Avaí, na mesma região. Na manhã de ontem (14) ele foi preso. "Eu devia ter feito isso na Ana Mendes também, mas precisaria de um caminhão de munição para matar todo mundo que eu odeio lá, enfim, parabéns aos envolvidos", postou o suspeito. O jovem é ex-aluno da escola que ameaçou e atualmente estuda Direito em uma faculdade da região.
De acordo com a Polícia Militar daquela cidade, moradores fizeram diversas ligações denunciando que o jovem estava fazendo uso de seu perfil na rede social Facebook, apoiando a violência. Militares foram até a casa do suspeito e, no caminho, deparam-se com ele na condução de uma motocicleta, próximo à sua residência. Ele foi abordado e submetido à busca pessoal. O jovem não possuía habilitação para conduzir o veículo e nem portava o documento de porte obrigatório da moto, que foi apreendida.
Os policiais estiveram na casa dele e, durante buscas no local, nada de ilícito foi encontrado. Porém, de acordo com a Polícia, no aparelho celular do rapaz havia várias conversas com pessoas de diversas partes do país, contendo ideias favoráveis à prática deste tipo de crime. O aparelho foi apreendido para ser periciado pela Polícia Civil, que também esteve na casa do rapaz. Ele foi preso em flagrante por cometer Crime de Apologia a Fato Criminoso. Em seu perfil do facebook, o jovem demonstra vários sinais de apologia à violência. Em uma de suas fotos, ele aparece com uma corrente e diz que é um recado para alguns meninos do bairro. Ele também tem fotos de armas e fala que queria morrer em várias postagens.