Desde 1984
Esporte
12 de fevereiro de 2019
EXCLUSIVO: Jogador prateano, do sub-20 do Flamengo, lamenta mortes de amigos
Reprodução
Morador do alojamento que foi incendiado, Rodrigo Muniz, passa férias em São Domingos do Prata

Natural de São Domingos do Prata, o jogador Rodrigo Muniz, de 17 anos, passa férias na casa dos pais, na cidade natal. Por isso, não estava no alojamento do Flamengo, onde mora e que foi incendiado na última sexta-feira (8).
Ele é centroavante da equipe Sub-20 do Flamengo e lamentou a morte dos amigos no incêndio que destruiu o alojamento do clube e matou 10 atletas na última semana. “Acordei com o meu empresário me ligando, querendo saber onde eu estava. Recebi a notícia com grande susto. Meus pais também ficaram abalados. Foi uma tragédia. Dos 10 que morreram, nove eram meus amigos. Estou muito sentido com isso tudo.”, disse ao A Notícia.
O incêndio ocorreu no fim da madrugada de sexta-feira (8), em uma parte do Ninho do Urubu que servia de alojamento para as categorias de base do Flamengo. No momento do acidente, 26 pessoas estavam no local. Além dos 10 jogadores mortos, três ficaram feridos e outras 13 pessoas conseguiram se salvar sem ferimentos.
Rodrigo é filho da cantineira Luzia Muniz Rosa e do teceleiro Alexandre Pursino de Carvalho. Ele conta que desde criança, foi incentivado pelos pais a jogar futebol. O jogador foi contratado pelo Flamengo no início de 2018. Ele iniciou a carreira em 2014, após fazer testes no Clube Atlético Mineiro e no Desportivo Brasil, de São Paulo.
O atleta conta que num primeiro momento, não foi aprovado pelas equipes. Porém, após uma recontagem, foi chamado para mais um teste no Galo e aprovado no Desportivo Brasil (SP). Em acordo com a família, escolheu pela equipe paulista.
No primeiro ano, jogando pelo sub-17, marcou 31 gols e foi artilheiro da equipe. Ele também já defendeu a seleção brasileira. O atleta jogou no Desportivo Brasil nos anos entre 2015 e 2017. Em janeiro do ano passado, foi contatado pelo Flamengo, como uma promessa.
Pelo rubro-negro, Rodrigo disputou a Taça São Paulo de Futebl Júnior (a Copinha), dois campeonatos internacionais, o Campeonato Carioca e a Taça Guanabara, pelo time sub-17. No final do ano passado, subiu para a categoria Sub-20. Como todos os jogadores que morreram na tragédia, Rodrigo também sonha em chegar à equipe profissional. “Estou trabalhando muito para isso. Sei que tudo é no tempo de Deus”, disse Rodrigo. Ele retorna ao Flamengo no próximo dia 17. Por enquanto, tenta se recuperar da tristeza provocada pela perda dos companheiros.